Popular Post

PM Break, ou como parodiámos a política e a série favorita do JF, parte 2

By : PVD
AR: E... parece-me que voltámos.

JF: Já posso falar?

AR: Não vejo porque não, não sentiste a interrupção.

PVD: Deixa-o estar meu filho, conta lá a tua história.

JF: Bem, isto foi aqui à um par de dias...

AR: Isto é um flashback pessoal, transição em nuvem e tudo.

JF: Decidi voltar a casa pelo Natal, visto que não a época natalícia não é a mesma se não tiver o Space_Aye a arguir que a data não interessa, o PVD a apontar-lhe que ele recebe presentes na mesma e os familiares a darem beijinhos a tudo o que se mexe.

MR: E ao que não se mexe, temos de dar um beijinho à garrafa de Coca-Cola lá em casa.

JF: Pois, e não é que eu vou a um café, peço uma bebida...

 Sócrates: Uma bica ou um garoto? Eu gosto mais de garotos.

Space_Aye: Isto de bicas de garotos parecia-me que era mais com a Igreja do que com o senhor ex-Primeiro Ministro, mas pronto.

AR: Este é um momento interessante pois comentários de terceiros tendem a quebrar uma sequência de flashback, mas neste caso o JF estava mesmo a pensar tudo isto.

JF: E não é que ao darem-me o troco, vem uma moeda de dois euros.

Interrompe-se o flashback

PVD: Dois euros JF?! Andaste a atacar o peditório da minha igreja?

JF: Não, eu arranjei emprego em Inglaterra e agora sou pobretanas para lá, mas para cá estou na classe média.

Continua o flashback

JF: E não é que um agente da polícia me vê com a moeda na mão, a chamar-lhe de preciosa, que me prende por furto e me trazem para aqui.

Fim do flashback

AR: Nem mereceu o esforço de colocar o itálicopara uma fala assim curta

Sócrates: Bom, o meu amigo percebe então também a minha situação, também está aqui por um crime que não cometeu.

Space_Aye: (olha para Sócrates de lado) Epá, por isso é que gostamos mais de si do que do Passos Coelho, tem um sentido de humor que é inacreditável.

Sócrates: (encolhendo os ombros) Uma pessoa tem de se manter o ânimo na prisão, quem sabe se repetir vezes que chegue talvez acredite nisso.

PVD: Mas também JF, não se pode culpar muito o sistema jurídico aqui. Eu também te punha na cadeia se te visse com uma moeda de dois euros e me fosses dizer que era tua.

Todos acenam

JF: Pois, não se pode culpar o pessoal.

AR: Diga-se de verdade, que se isto acontecesse na vida real este resultado não me surpreenderia.

Continua na parte 3

PM Break, ou como parodiámos a política e a série favorita do JF, parte 1

By : PVD

Space_Aye levanta-se, abanando a cabeça, sem perceber exactamente onde está ou que horas são. Como todos os dias, tenta ir à casa de banho, mas vê que no seu caminho estão umas barras de ferro.

Space_Aye: Mau! Então mas que vem a ser isto?!

Space_Aye tenta abanar as barras sem sucesso

Space_Aye: Socorro! Ajudem-me!

JF: Epá, faz pouco barulho pá que ainda é cedo.

Space_Aye: JF, estás aqui? Onde é que estamos? O PVD quer voltar a tentar converter-nos?

PVD (da cela do lado esquerdo): Não meu filho, isso era só prá semana que eu estou a descansar depois da época Natalícia, os doces todos lá em casa tem drogas extra para melhor ver o Senhor para o seu aniversário.

MR (da cela do lado direito): Eu desconvido-me a isso, já agora.

Space_Aye: MR, também aqui?! Já não percebo nada do que se passa.

Ouve-se uma voz no lado esquerdo

Sócrates: Bom, se ninguém se opor, acho que posso explicar o que se passou. Estamos todos presos em Évora por causas injustas.

Space_Aye: Sócrates, também está aqui? Mas nós não fizemos já uma série de posts sobre ti recentemente?

Sócrates: Eu admito que os Gárgulas me prestam muita atenção, o que aqui preso sempre me vai consolando, mas também sabem que eu trago sempre o melhor material para a comédia.

Space_Aye: Mas porque é que eu acordei na cadeia e não me lembro porque e como é que cá cheguei? E porque é que estamos todos aqui juntos?

AR: A seginda pergunta é muito fácil - porque se é para fazer uma data de posts em série, o melhor é estarmos cá todos. Além disso, ter um monte de personagens sempre dá vida à narrativa. Quanto à primeira pergunta, o autor provavelmente achava que quebrava muito a acção mostrar o processo legal a ser cumprido, e o facto de acordares assim sem saberes dá um ar de mistério à narrativa.

Space_Aye: Mistério? Mas tu andas a falar de que jovem?

PVD: Deixa-o lá, acho que foi às minhas drogas. Vês o senhor AR?

AR (olhando para o tecto): De certa forma. Isto do meta-conhecimento é estranho.

Sócrates: Bom, eu não estou a perceber nada, mas afinal porque é que vocês estão aqui?

JF: Bem, eu... (é interrompido pelo AR)

AR: Pois, parece-me que para esta já não temos mais tempo hoje. Vemo-nos na parte dois.

Todos excepto AR olham uns para os outros com um ar confuso.


Promessas para 2015

By : JF

Caros Gargulistas, hoje vou revelar a promessa que fiz em 2014, uma mudança que ficara na historia deste blog, ou pelo menos no histórico do meu browser. Eu sei este tópico e muito 2014, mas se procuram um blog actualizado não sei o que estão aqui a fazer.
Eis uma lista de coisas que podem acontecer este ano:

  • Postar no blog, pelo menos uma vez por dia.
  • Perder uns kilos, ou umas libras dependendo da balança que usar.
  • Trabalhar full time nos Gargulas.
  • Armar-me em esteticista e mudar o visual do blog novamente.
  • Dar menos erros ortográficos, se este teclado me deixar.
          Teclado - va fan culo!
  • Escrever posts de jeito e a tempo e horas.
Pronto, chega de suspense... o que eu prometi foi que este seria o ultimo post do blog no qual prometo um monte de coisas que provavelmente nunca cumprirei.

Feliz 2015!


Agua das pedras - A Origem

By : JF
Esta é uma história sobre uma garrafa de água estranha... esquisita, vá,  pois estava metade vazia, ou metade cheia (para os otimistas).
A vida de uma garrafa de água é relativamente parecida com a de um humano. Cresciam a comer sandes de presunto com atum e molho á bolonhesa para ficarem fortes e saudáveis, eventualmente casar-se iam com uma garrafa com uma embalagem oposta e davam luz a garrafões de vinho.
Uva - Eu sou uma uva e acho isto ofensivo!
Miquelina estava apaixonada por  uma garrafa da mesma embalagem, esta confessou o seu amor pelo antigo MSN, logo ainda não deviam existir computadores... contudo isso não era bem visto pelos cidadãos de Garrafopolis.
Certo dia o governador de Garrafopolis ordenou a captura de Miquelina, contudo Pedrana a sua amada interviu e sacrificando-se deu origem à água das pedras, uma água áspera e azeda.
A lenda diz que ainda hoje as garrafas choram, pouco apos saírem do congelador ainda se consegue ver as lagrimas a descerem pela garrafa abaixo.
PVD  - Meu filho, isso é a diferença de temperatura, seu estúpido. 

Os Gárgulas e a Maratona das Aranhas (e a Semi-Maratona das Formigas)

By : AR

Numa manhã aborrecida sem nada para fazer, sem um filme pornográfico que ele quisesse ver, sem uma série de anime que quisesse ver, sem uma banda de metal desconhecida e sem valor para ele ouvir, eis que AR decide sair da sua gruta, digo apartamento, e decide convidar Os Gárgulas a ver a 10ª Maratona Internacional das Aranhas, que AR assume será mais interessante que a Semi-Maratona Internacional das Formigas, que ocorrerá no mesmo dia.

AR: Oi JF, ainda bem que te encontro aqui.Que fazes? Estás à procura de alguma coisa?
JF: Olá. Parecia-me ter visto uma moeda de 2 euros por aqui. -Diz isto com a sarjeta aberta e com luvas.
AR: Ah desiste. Já sabes como os posts gárgulinios são. Não serve de nada seguir a moeda. De qualquer das formas: Ou rapaz da Classe Média, as notas de 20 euros não são melhores?
JF: Bem, suponho que tenhas razão. Suponho que seja a triste verdade. Se bem que... esquece. Que fases aqui?
AR: Bem, queria-te convidar à 10ª Maratona Internacional das Aranhas. Espero que a Sarah Black-Widow ganhe, como ganhou ano passado. Vá, até te pago uma francesinha.
JF: Está bom. -Diz isto enquanto fecha a sarjeta e tira as luvas.

Com isto dito, eis que AR e JF procuram os restantes Gárgulas. E eis que MR e PVD estavam a conversar no Low-Cost.Come dos Aliados:
PVD: Não é que não respeite a tua opinião, meu filho. Eu simplesmente acho que o que tu dizes não tem qualquer lógica, e que, como tal, a tua opinião não tem qualquer valor.
MR: Com todo o devido respeito, simplesmente acho que gastar 5 mil euros num pudim é descabido de qualquer sentido.
PVD: Mas falas como se fosse um pudim qualquer. Simplesmente não é o caso. É o melhor pudim de sempre.
MR: A mim sabe-me a pudim genérico. Daqueles que se compram no Froiz, por exemplo. Sabe bem, mas não vale 5 mil euros.
PVD: Estou incrédulo. Isso é pura blasfémia, meu filho.

Chegando ao Low Cost.Come, AR e JF dirigiam-se à mesa onde o PVD e o MR se reuniam, para os convidar para a maratona. Enquanto isto acontecia, ao fundo estava uma Viúva Negra gigante a comer um Big Mac no McDonalds, a espiar no AR à distancia com binóculos.
Viúva Negra: Mais cedo ou mais tarde, vou-te apanhar. Não me escaparás.

Enquanto isto ocorria:
MR: Não. Recuso-me. Essa oferta é revoltante no mínimo. -Diz isto, fruto da aracnofobia do próprio.
AR: Vá lá. Isso é pura fobia. Um ato discriminatório, inclusive. A aranhas são pessoas, ficas a saber.
PVD: Vá lá MR. Eu sinto que tenho a obrigação de abençoar estas aranhas que tentam integrar-se na sociedade humana. É o melhor a fazer meu filho.
MR: Com tanta coisa absurda dita, eu até escuso de fazer comentários.
AR: Perfeito. Vamos lá. Eu até ofereço uma Coca-Cola. Oh espera, tenho que ir à casa-de-banho.

Depois disto, só faltava buscar o Space-Aye. Num autocarro de dois andares, AR começa a masturbar-se. Enquanto o MR desvia os olhos escandalizado e enquanto o JF olhava para uma estátua de uma moeda de 2 euros com 2 metros de altura, PVD pergunta calma e serenamente:
PVD: Porque é que te masturbas, meu filho?
AR: Peço desculpa. Estava a pensar na Madoka Kaname. Aliás, sempre que vejo Madoka Magica, masturbo-me um bocadinho. As raparigas são uma perdição. E o Kyubey não é mau de todo.
PVD: Contem-te, meu filho. Não é que não perceba o teu desejo pelas raparigas. Mas as pessoas estão a olhar. Mais ainda, tu gostas do Kyubey? Aí não te percebo, meu filho. Mas pronto. Tu gostas do que quiseres.

E a viagem continua, com o MR ainda a processar o facto de que AR admitiu masturbar-se pensando numa personagem de anime que é uma rapariga de 14 anos. Portanto, em vez de apreciar Puella Magi Madoka Magica pelas suas qualidades artísticas e análises filosóficas, pela soundtrack de Yuki Kajiura e escrita de Gen Urobuchi, masturba-se a pensar nas raparigas. Isto até que se lembrou: O AR é o AR!

Mais tarde, os quatro encontram o Space-Aye a sair do bar Piranha, propriedade de um perigoso traficante de detergente da roupa, oriundo do Brasil. Dentro desse bar encontram-se piranhas dançarinas, fora da água, bem como pessoas a snifarem detergente da roupa em pó, bem como pessoas que compram cápsulas de detergente.

AR: Space-Aye, que fazes aqui? Este lugar é perigoso. Não que não gosta de uma cápsula uma vez por outra mas...
Space-Aye: Nem eu sei. Não sei que faço aqui. Não sei porque é que fui colocado aqui. Não sei que utilidade é que isto tem para o post. Aliás, tu devias de saber...
AR: Pouco importa. Vamos lá. Vem connosco. -Interrompendo Space-Aye.
Space-Aye: Tenho alguma escolha?
AR: Não!
Space-Aye: Bem me parecia.

Quando chegaram à maratona, aperceberam-se de que o evento ia ser cancelado, porque as formigas da meia-maratona foram massacradas. Aparentemente houve uma batalha entre os grupos rivais que são as formigas e as aranhas. A policia tinha fechado a rua ao acesso público, e estava a investigar a cena do crime.

AR: Depois disto tudo, não houve evento nenhum. Raios! Vou mas é rever Imouto Paradise.
PVD: E não cheguei a abençoar o evento...
Space-Aye: Calma! Ainda podemos experimentar estes gelados de LSD.
JF: Está bom. Porque não?
PVD: Estes gelados foram abençoados por mim. Desfrutem meus filhos.
MR: Divirtam-se. Não quero nada a haver com isto.

Depois de comerem os gelados de LSD, todos enlouqueceram, excepto MR, que não tinha comido, e AR que pelo contrário fica sóbrio.
MR: À muito tempo que não te via. -Pondo a mão nas costas do AR Sóbrio.
AR Sóbrio: Realmente, muito tempo terá passado. Mas antes de conversarmos, levemos estes loucos para os seus respectivos lares.
MR: É o melhor a fazer.

Enquanto isto ocorria, a Viúva Negra, que é na verdade a senhoria do AR, e o Camarão da Póvoa faziam amor no... Correcção: Fodiam como coelhos ou bonobos, numa cama do Hotel Intercontinental. Cama essa que era nada mais, nada menos que uma francesinha gigante com molho e queijo, com cobertores de queijo. Suavam intensamente, e o suor misturava-se com o molho quente e picante, picante tal como o sexo em si. De qualquer das formas, depois de acabarem:
Camarão da Póvoa: Não te preocupes, minha dama. Tu vais ter a tua vingança no AR. E eu terei a minha vingança nos membros úteis d'Os Gárgulas. Não tara nada, terás o teu banquete.
Viúva-Negra: Anseio por esse momento. -Enquanto beija o Camarão e começam a segunda rodada.

O AR Sóbrio reflecte à janela, consciente de que algo se passava. Sabia que as tensões entre as aranhas e as formigas iam aumentar a nível mundial, e que a coisa não ia ser linda.

To Be Continued...

Os Gárgulas visitam Sócrates

By : MR
 
Imbuídos pelo espirito excecional da época, os Gárgulas decidiram visitar o seu amigo José Sócrates que recentemente se viu detido de forma inesperada.
MR: Então sempre é hoje que vamos visitar o Sócrates?
PVD: Sim, meu filho.
MR: Eu sei que já discutimos isto, mas porquê que estamos a fazer isto?
PVD: Porque somos bons cristãos, meu filho.
Space Aye: Sim, sim, sim. Eu quero é ver como é que aquele tipo se está a sair na prisão. Será que ele já “apanhou o sabonete”?
MR: Sinceramente, Space Aye.
Space Aye: Foste tu que escreveste a piada, não fui eu.
MR: Isso não era para dizer.
PVD: Meus filhos, não devemos falar tais coisas. Eu, o PVD, não aprovo.
AR: Alguém me pode dizer onde é a casa de banho?
MR: Pergunta aí a um guarda.
AR: Pensando bem, esquece. Eu vou usar aquela aplicação que saquei no outro dia.
MR: Provavelmente não é de interesse para ninguém, mas que aplicação seria essa?
AR: ToiletMaps. Ajuda-nos a encontrar a casa de banho mais próxima.
MR: Eu ia perguntar porque é que tens uma aplicação para isso, mas lembrei-me que estava a falar contigo.
AR: Está bem, está bem. Já volto. (AR disse antes de ir á casa de banho)
PVD: Alguém viu o JF?
JF: Estou aqui! (Disse com uma moeda de 2€ na mão)
Space Aye: Agora que ele faz parte da classe média, isto já não faz muito sentido, mas pronto.
Um guarda aproxima-se e abre os portões.
Guarda: Podem entrar.
Os Gárgulas preparam-se para entrar conforme anunciado pelo guarda quando o mesmo os detem (com isto quero dizer para).
Guarda: Onde está o cartão de militante do Partido Socialista?
MR: Não tenho, nem nunca tive tal coisa. (Disse com um certo ultraje)
PVD: O único partido a que pertenço é o partido de Deus. Só voto N’Ele.
Space Aye: Nope, nada.
JF: Dá para descontos nas francesinhas?
Guarda: Não.
JF: Então não tenho.
Guarda: Ainda falta o que está na casa de banho. Ele tem cartão de militante do Partido Socialista?
MR: O AR pode ter muitos defeitos, mas ser militante do PS não é um deles.
Guarda: Então temo que não vos possa deixar entrar.
JF: Vá lá, sr. Guarda, não seja assim. (Disse JF mostrando ao guarda uma moeda de 2€)
MR: Com toda a certeza que isso não irá funcionar.
Space Aye: Ladies and gentleman, isto é a prova irrefutavel da ascensão de JF á classe média.
Paulo Portas: Alguém disse irrefutavel? Porque não dizer irrevogavel? É muito mais flexivel. (Disse após aparecer do nada)
PVD: Também foste preso?
Paulo Portas: Não, não, honoravel PVD. Eu só vim aqui para satisfazer a minha veia sadista e ver como está o nosso amigo, o ex-Primeiro Ministro José Sócrates.
MR: Não sei bem porquê, mas acredito na explicação dele.
Space Aye: Especialmente porque não há submarino que o arraste para o fundo do mar.
Guarda: Espere, vocês disseram que aquele senhor ali é o PVD?
Paulo Portas: É ele mesmo.
Guarda: Nesse caso podem entrar todos. Lamento imenso pelo incomodo. Sabem como é: regulamentos. Assim do nada dizem-nos para deixar entrar todos os socialistas que cá vierem.
E assim, os Gárgulas (- AR) e Paulo Portas entraram na sala de visitas onde os esperava José Sócrates.
José Sócrates: Ah, sejam bem-vindos meus caros. É um prazer recebe-los.
Space Aye cumprimenta José Sócrates com uma expressão que irradiava satisfação, já PVD irradiava compaixão cristã e um decerto bem-intencionado desejo de futuras contribuições para a sua paróquia. JF cumprimentou Sócrates enquanto contemplava a sua moeda de 2€, enquanto que MR redefiniu a expressão aperto de mão ao praticamente partir a mão de José Sócrates. Já Paulo Portas não o cumprimentou nem se fez anunciado, ficando escondido num canto.
MR: Então como é que a prisão o tem tratado?
José Sócrates: Nada bem. Veja lá que só fazem assado quando me vem visitar o Mário Soares! Sinceramente, onde é que já se viu tamanho ultraje?
MR: Folgo em ouvi-lo.
José Sócrates: Sinceramente, MR. Você continua a insistir nessa narrativa de que fui eu que provocou o seu despedimento? Eu esperava mais de si.
PVD: Meu filho, toda a gente sabe que só sabes mentir. Não vale a pena dizeres mais. Niguém acredita numa palavra do que dizes.
José Sócrates: Caro PVD, você deve saber que vale sempre a pena pelo menos tentar. Afinal você passa a vida a tentar converter ateus como o Space Aye ou o MR.
PVD: Se pões as coisas nessa perspetiva, suponho que até tens um ponto.
José Sócrates: Para além de que se começo a dizer a verdade agora, estou tramado. Imagine que me esqueço das mecânicas que mentir e omitir involvem. Isto para não falar da incrivel arte da meia-verdade.
Space Aye: Nunca pensei ouvir este gajo a ser tão honesto.
MR: Nem eu.
Após ter saido da casa de banho, AR entrou na sala de visitas. AR ia cumprimentar Sócrates quando viu uma das suas mais avassaladoras paixões, a cara de Paulo Portas.
AR: Portinhas!!! (Disse, perdendo o pouco juízo que lhe restava)
Paulo Portas: Oh não! Não este tarado!
AR: Volta aqui, Portinhas! Vamos ter um filho juntos! (Disse, agarrando em Paulo Portas)
Paulo Portas: Nem nos seus sonhos. Deixe-me em paz! (Disse, tentando soltar-se de AR)
MR: Porquê que ninguém mencionou que o que ele propôs é absolutamente ridiculo?
JF: Não sei. Isto não era o teu post?
MR: Eu já disse que isso não era para dizer.
Nisto, Paulo Portas solta-se e começa a fugir de AR que o persegue de forma frenética.
José Sócrates: Então, JF? Ouvi dizer que subiu á classe média. Parabéns! Suponho que finalmente tenha as tais desejadas moedas de 2€. Eu quero que saiba que sempre o apoiei neste seu sonho. Folgo muito em saber que finalmente as coisas lhe estão a correr bem.
Space Aye: Não acredites nele JF, ele é o motivo pelo qual tiveste que ir para Inglaterra para chegares á classe média.
JF: O que importa é que eles fazem conversão para Euros, senão aí é que estava fulo.
MR: Eu nunca te disse nada, mas acho que tens uma forma estranha de lidar com o dinheiro.
Space Aye: Não és o único.
MR: Está quase na hora de nos irmos. Antes de irmos embora, tenho algo para si. (Disse, revelando um livro embrulhado que trazia por debaixo da camisola)
José Sócrates: Posso abrir? (Disse, algo entusiasmado)
MR: Claro. Espero que seja do seu agrado.
Nisto José Sócrates abriu o embrulho de modo a descubrir que livro lhe fora oferecido. Ao desfazer o embrulho, Sócrates vê o titulo.
MR: “Fedon” de Platão. Espero que o divirta. (Disse, sorrindo enquanto Sócrates olhava petrefacto para o livro que tinha na mão, que relata o periodo antes da execução de Sócrates, o filosofo)
Space Aye: Não te esqueças de beber a cicuta.
PVD: Meu filho, até uma próxima. Lembra-te: quanto mais doares, mais Deus te ama.
JF acenou, enquanto que de AR e Paulo Portas nem sinal. E assim, os Gárgulas terminaram a sua visita a José Sócrates.

Benfica prepara-se para mais atividade de mercado

By : MR
 
 
Após a confirmação da saída de Enzo Pérez para o Valência por 25 milhões de Euros, e antecedendo-se á possível saída de Nico Gaitán para o Mónaco, o Benfica anunciou a intenção de vender a alma de 11 dos jogadores que constituem o plantel, entre os quais se encontra o anteriormente mencionado Nico Gaitán.
 
Uma fonte anónima dentro do clube disponibilizou-se para explicar os detalhes.
 
"A verdade é que por causa de não nos termos qualificado para a Liga Europa, que era um dos objetivos para esta época, temos que vender jogadores. Mas também é verdade que se vendermos demasiados jogadores ficamos mal no plano desportivo... Pelo que nós decidimo-nos pelo melhor dos dois mundos. Já temos um interessado e tudo."
 
Quando lhe mencionei o quão absurdo o plano era, a fonte ainda relativamente calma disse:
 
"Absurdo ou não, a verdade é que há pessoas interessadas. Se me perguntar a mim, eu acho que o Valência comprar o Enzo Pérez por 25 milhões de Euros é mais absurdo. Especialmente quando podiam comprar o Beñat por 21 milhões de Euros. Ouça, isto tem pernas para andar."
 
Uma pergunta que fiquei por fazer foi que alma restava a jogadores que num dia amam o clube e no dia seguinte o abandonam a meio da época, mas pronto.

 

Prisão de Sócrates

By : Space_aye

Estava eu de fim de semana em Marrocos, mais concretamente na sua capital Lisboa, quando se dá um acontecimento que ficará para sempre na nossa história. Foi o dia mais esperado pelos portugueses desde que aconteceu outro histórico e ansiado dia, o dia em que Sócrates se demitiu. Estou a falar, claro está, da prisão de Sócrates.
Ocorre-me uma série de coisas não só pela prisão mas pelo desenrolar do processo. Lembram-se quando na campanha eleitoral em 2005 se espalhou o boato de que Sócrates era gay? Eu pergunto-vos porque entretanto deixou de ser relevante. Não por ele já não ser primeiro-ministro, mas porque agora, queira ou não, ele está a apanhar o sabão.
E por falar nisso, acho que no fundo percebo o porquê de tanto ódio a um primeiro-ministro que foi só um dos piores. O que até nem é assim tão negativo, comparado com a qualidade dos primeiros-ministros que temos vindo a ter. É que no fundo com Sócrates é uma "bicha política", mesmo quando se demitiu e percebeu há muito que toda a gente o odiava continuou a querer estar na ribalta a ponto de servir de comentador político na RTP. Os portugueses reagem a ele como quando veem as marchas do orgulho gay a passar. "Ah e tal, se eles não fizessem aquelas paneleirisses todas para a câmara a gente até os deixava em paz! Mas assim, tenho mesmo de lhes chamar nomes e continuar a odia-los por motivo nenhum!".
Outra coisa engraçada é que quando ele era primeiro-ministro toda a gente estava ansiosa que ele morresse (até tivemos um comentário num post deste blog chamado "Morte de Sócrates", e que teve imensas visualizações, de um senhor que leu a pensar que ele tinha mesmo falecido!) e agora que ele morreu todos falam bem dele. Típico dos portugueses. Não morreu no sentido literal, mas pode-se dizer que ele politicamente está morto.
Agora é um coitado que ainda nem foi julgado e já está na choça. É realmente desagradável acontecer isto a um "homem bom" ou "de boas famílias", que é o que se costumava chamar aos gajos cheios de pasta. Se Sócrates fosse na realidade um miserável cidadão governado por outro Sócrates (tipo JF) e estivesse a limpar as sanitas do estabelecimento prisional de Évora por um crime qualquer, já estava o povinho a comentar no site do Correio da Manhã "25 anos é pouco! Deviam mas era mata-lo". Assinado Jervásio79 "Ó Jervásio79, você é uma besta! Mata-lo era pouco! Era mas é arrancar-lhe um braço e uma perna de cada vez, atira-lo de um escorrega cheio de lâminas e ele ir parar lá baixo a um contentor de ácido!" Assinado Joaquim362.
Entretanto, como diria o Pablo Iglésias (que provavelmente ninguém aqui sabe quem é), que caia essa casta toda! Cavaco, Passos Coelho, ministros do governo etc. etc.
Nós os gárgulas, tenho de dize-lo, achamos sempre mais do que um ministro com piada em cada governo, mas não suporto o Coelho desde que ele decidiu acabar com o humor usando uma piada.
Os fãs de Sócrates estarão com certeza tristes nesta altura. Mas devem estar cientes que ele tem dinheiro suficiente para se safar desta com bons advogados.
Já para aqueles que ainda sonham com a sua morte só lhes resta esperar que ele beba agora a cicuta. Isso, fiquem sentados. Vai umas pipocas?


PVD - Alguem disse pirocas?


Space_aye - Não, PVD. Vai fazer umas pipocas que eu estou aqui a ver o noticiário.


PVD - O JF já ligou hoje?


Space_aye - Ainda não. Tem estado muito ocupado em Inglaterra a fazer negócios em seu nome para o Passos Coelho.





José Sócrates suspeita de fralda fiscal

By : JF
Paint porque o photoshop e muito main stream. A serio, nao imaginam a quantidade de emails que recebo de gente que quer saber fazer montagens com esta qualidade.

Sócrates foi detido por suspeita de fralda fiscal consta que se estava a governar demasiado bem para os rendimentos declarados. A Noticia trouxe alegria ao povo, especialmente aos jornalistas.

Fralda Fiscal -  Em Direito é o crime ou ofensa de deliberadamente fazer caca com o dinheiro dos outros.

Faculdade é coisa do passado... aprenda Direito com Os Gargulas.

Governo – Espera ai… tu abandonaste o nosso clube e ainda vives bem? Pimba! Pega la que e para a aprenderes!

Embora tenha sido um momento mágico, foi fraquinho… fiquei decepcionado pelo Coelho não ter sido o primeiro a sair da cartola.

Creio que como Socrates ja nao era socio do clube dos corruptos, (governo) foi mais facil cortarem-lhe as asas, va la que ao menos deixaram-no aterrar.

MR – Nao sei qual será inferior… a qualidade dessa piada, ou a dignidade do ex – primeiro ministro.

Repararam no estilo jornalistico? Em vez de voltar a repetir Jose Socrates referi-me a ele como ex – primeiro ministro ainda diz o Space Aye que eu nao sei escrever…

Space Aye - * jornalístico, primeiro-ministro, José Sócrates.

JF – Fds…

PVD - Space Aye Wins! Flawless Victory (Para quem for idoso o suficiente para se lembrar do Mortal Kombat)

Aposto que isto foi obra do Pai Natal tambem conhecido por menino Jesus!

MR (ex jornalista) - “Querido Pai Natal… quero um avião com uma camera para poder apanhar vigaristas em flagrante, assim terei boas noticias e quem sabe arranjarei emprego…”.

Pai Natal – Deves pensar que eu sou o dragão do Dragon ball? Vou ver o que consigo arranjar…

Ou entao foi uma prenda para os Gárgulas, toda a gente sabe que a crise so comecou a afetar os comediantes desde que ele saiu do governo, mas gracas a esta noticia podemos voltar a escrever sobre ele.

AR – A crise começou a afectar os comediantes… espera… “comediante e emprego” na mesma frase ahaha realmente tem piada.

Space Aye – Como aspirante a vigarista profissional (político) devo dizer que esperava melhor deste grande senhor… mas sabes porque o apanharam? Aposto que ele viajava em companhias aéreas decentes com espaco entre os bancos para pessoas com mais de 1 metro de altura, bancos minimamente confortaveis e tudo! Se viajasse pela Ryanair ninguem desconfiaria de nada…

PVD – Nao foi nada meu filho… o problema dele foi o banco, ele afirmou viver de um empréstimo da Caixa Geral de Depositos. Se se tivesse juntado ao Espirito Santo nada disto teria acontecido…

Lição a retirar - Viaje com a Ryanair e abra conta no banco Espirito Santo.

E dai retiro o que disse… quem viajou pela Ryanair sabe que ate o oxigénio nos cobram para podermos respirar dentro do avião por isso teriam-no capturado mais depressa.
Espero que BES nos pague pela publicidade! Porque se a Ryanair nos processar estamos lixados.

Super poderes aparentemente estupidos mas que afinal ate dariam jeito...

By : JF


Com certeza houve uma altura na vida em que pensaram... epa daria imenso jeito poder voar, ou ser muito forte. Mas se repararem existem poderes bem mais interessantes.

Alterar prazos de validade - Para quem não tem muito dinheiro como eu, este poder seria óptimo para poder comprar tudo a preços reduzidos no súper mercado.

Pressentir os autocarros a chegarem - Este poder ja existe mas  o desbloqueamos quando chegamos a uma certa idade.

Não precisar de dormir - Tendo em conta que um terco da nossa vida passamos a dormir. No meu caso um rosario.

MR - Um Rosário?

PVD - Não sabes o que e um rosário... vais arder no inferno meu filho... um rosário são 3 tercos.

Legendar o dia a dia - Ja viram como seria se percebêssemos toda a gente, ate mesmo as mulheres?

Poder ver vírus - Dava mesmo jeito poder escapar aquele vírus com nome de senhora mexicana.

Vírus - Mi nombre es influenza! (nome do vírus da gripe).

Transformar agua em vinho - Imaginem o quanto a Igreja pouparia em sangue de Cristo.

Vamos supor que existem apenas 1000 Igrejas em Portugal, que essas mil celebram a missa todos os dias e que os Padres nao andam a beber vinho marca Pingo Doce.

1000 igrejas x 7 dias  = 7000 garrafas (verifiquem nas vossas calculadoras pois sou muito mau a matematica).

Ou seja supondo que so bebem uma garrafa por dia sao 7000 garrafas.
7000 garrafas x 5 euros = 35000 euros por semana.

Tendo em conta que as garrafas que eles bebem devem custar no minimo 5 euros, sao 35 mil euros por semana.

35.000 euros x 52 semanas (1 ano) = 1.820.000 euros por ano em vinho.

Ora o que aprendemos hoje?

  • Para onde vao as esmolas para as "obras da Igreja".
  • Os Padres tem figados de ferro.
  • Toda a gente que ler este post vai querer ser padre.
PVD - Vai te mase confessar meu filho...

JF - Perdoai-me senhor pela falta de acentuacao e erros ortograficos dados neste post, pois estou num teclado sem bigode (teclado nao Portugues)



Tanque dos Tubarões (Shark Tank) em Portugal

By : Space_aye



Quem vê a Sic Radical já deve estar farto de saber que estão abertas as inscrições para uma versão portuguesa de “Shark Tank”, um programa onde um grupo de 4 ou 5 biscoitos achatados cheios de pastel chulam o pastel e as ideias dos pobretanas que lá aparecem a pedir investimento. Como nós os gárgulas gostamos bastante desse programa (faz-nos lembrar o governo), decidimos fazer uma versão à la gárgula deste programa televisivo. E acreditem, é isto que se vai passar quando o programa começar a dar. Enjoy!


O Tanque dos Tubarões (versão portuguesa)


Presentadora – Bem-vindos ao Tanque dos Tubarões! Um programa onde você acredita que ainda há almas caridosas neste mundo e que por acaso essas almas caridosas seriam milionários! Quão ingénuo...

Estes são os nossos “tubarões”:

Belmiro de Azevedo

Este empresário do retalho é dono da cadeia de supermercados Modelo-Continente, da empresa de construção Sonae, da empresa Efanor e ainda do jornal Público. É especialista em fazer dinheiro com a compra e venda de ações e também em fazer interpretações “ousadas” da lei. Ele foi durante anos o homem mais ricod e Portugal.

Américo Amorim

Este indivíduo é o segundo homem mais rico de Portugal. É o único empresário do país que detém a maioria do mercado mundial de um bem específico, a cortiça. É dono da corticeira Amorim, tem poderosos interesses imobiliários e investimento em alguns dos maiores bancos nacionais. É também conhecido por se dar bem com os comunistas alentejanos.

Soares dos Santos

Este gajo é o homem mais rico de Portugal. É dono da cadeia de supermercados Pingo Doce, dos gelados Olá, do azeite Galo, entre outras empresas. É conhecido por gostar de levar o dinheiro a passar férias na Holanda e por em apenas algumas horas ter conseguido vender mais quilos de carne do que os zombies conseguiriam devorar.

PVD

Ele é o PVD. É cronista do blog mais espetacular e com maior sucesso em todo o mundo. É conhecido por gostar extremamente de coçar a micose. É também ele que paga os bilhetes de cinema de JF e Space_aye. Ele tem muito pastel.

Miguel Góis

Ele é um dos elementos de um grupo humorístico defunto do qual já ninguém se lembra. Ele é o mais idoso de todos os “tubarões”. Ninguém sabe ao certo a idade dele, mas JF diz que ele parece ser realmente bastante idoso. Além disso deve ter ganho muito pastel dos programas televisivos.


Presentadora – Vamos começar.


Ex-ministro Álvaro Santos Pereira – Olá, o meu nome é Álvaro, não sei se se lembram de mim mas eu já fui ministro da economia há coisa de um ano. Venho pedir uma reforma vitalicia em troca de 30% da minha empresa. Deixem-me apresentar o meu negócio: eu inventei o franchising dos pasteis de nata. Estive a ver com muita atenção o video do Space_aye e constatei que devia realmente haver um ministro das natas neste país, mas não há. Ou melhor, não havia, até eu ter descoberto esta ideia genial e decidido montar este negócio lá fora.

Belmiro de Azevedo – Eu gosto muito de natas, e elas tão muito boas. Um bocadito ainda a saberem a congelado, mas como eu também estou habituado a gelados porque sou dono da Olá não me chateia nada. O que me chateia é a avaliação...eu demorei 30 anos a amealhar dinheiro suficiente para se poder dizer que tenho uma reforma vitalícia, e sinceramente, não acho que o negócio valha assim tanto. Estou fora.

Américo Amorim – Olha Álvaro, gosto muito do teu fato. Mas eu de natas não percebo nada, é só mesmo de coisas que estejam relacionadas com madeira. E a canela, como todas as pessoas normais sabem, não é a “casquinha da árvore que eles rapam”. Estou fora.

Soares dos Santos – Nós no Pingo Doce já vendemos natas. Aliás, foi lá que o Space_aye as foi comprar antes de gravar o video. Como eu creio que há aqui um conflito de interesses não é ético da minha parte investir este negócio. A menos que precisasses de uma sede fiscal, porque eu aí arranjava-te na Holanda.

PVD – Parece-me um negócio porreirinho pá. Vou-te dar aquilo que pediste, porque acho que era interessante associar as tuas natas com os meus biscoitos. If you know what I mean... *faz um sorriso maroto*

Ex-ministro Álvaro Santos Pereira – Uh...não entendi, inglês era com o Sócrates, não era comigo...

Miguel Góis – Bom, eu sinceramente não sei o que é que faço aqui, até porque a TVI não paga assim tão bem, aliás, eu estive quase para falecer como os atores da TVI porque há muito tempo que não arranjo trabalho. Acho que tens aqui uma oferta muito boa do PVD e eu não poderia acrescentar mais nada. Boa sorte, estou fora.

PVD  – Então, we have a deal?

Ex-ministro Álvaro Santos Pereira – Temos sim senhor.

PVD – Porreirinho pá! *apertam as mãos*


Cena 2

Paulo Portas – Boa noite, o meu nome é Paulo Portas, mas sou mais conhecido por “Paulinho das Feiras”, porque o que eu mais gosto é de gado e cebolas.

Belmiro de Azevedo – Opa, outro ministro? Isto mais parece a Assembleia da República! Daqui a nada estão todos a pedir desculpas ao país!

Paulo Portas – Uh...venho pedir mais dois submarinos e 50 helicópteros por 10% da minha empresa. O meu negócio são os ovos estrelados. Frequentemente, eu costumava chegar a casa sem paciência para cozinhar. Além disso a minha mãe não sabe estrelar ovos. Por isso eu pensei “porque não inventar ovos que já estejam estrelados?”. Então decidi inventar este ovo inovador, branco com a gema no centro. Ele é cozido, não é estrelado. Neste momento é um dos maiores exemplos do sucesso das exportações nacionais.

Belmiro de Azevedo – Estou chocado com tamanha estupidez. Mas não digo mais nada, senão o governo ainda cai. É que eu digo mal de todos, mas no fundo adoro-os. Estou fora.

Américo Amorim – Eu de ovos não percebo nadinha. É a minha empregada que cozinha. Mas realmente parecem apetitosos, embora estejam congelados. Estou fora, mas boa sorte!

Soares dos Santos – Essa é boa! Nem os meus empregados ultraexplorados da Polónia comiam essa! Vendedor de banha da cobra! Estou fora.

PVD – Dude...ovos estrelados? Realy? Biscoitos achatados ainda vá não vá...mas ovos acho que até o Space_aye sabia estrelar. Estou fora! Va fan culo, Portas!

Miguel Góis – Já que estou aqui, e visto que sou o mais idoso, logo tenho muita experiência, vou dar a minha opinião. Isto dava um ótimo sketch para os Gato Fedorento, mas isto em si já é uma piada suficientemente boa porque não vai haver mais sketches ahahaha, perceberam? Bom...estou fora. Obrigado pelo teu tempo.

Paulo Portas – Então e os meus submarinos? Quem os vai pagar agora ao consórcio alemão?

PVD  – I don’t care. You’re killing money! Bye, go to hell!

Paulo Portas – Mas este negócio é irrevogável!

PVD – Filho, não estás à espera que acreditemos nisso, pois não?


Cena 3

Sócrates – Boa noite. O meu nome é Trocaste...uh...p-perdão, Sócrates! Fui o melhor primeiro-ministro e o mais socialista que Portugal já teve! Aliás, se o PEC 4 tivesse sido aprovado o país não estava como está, estes gajos do PSD são todos uns corruptos e mamões! Venho pedir que o António Costa vença as eleições legislativas, em troca de 50% do TGV e da OTA.

Belmiro de Azevedo – Estás doido?! Mas qual TGV? Qual OTA? Isso nunca vai existir.

Sócrates – Eu tenho fé em Thatcher...p-perdão, tenho fé em Marx de como vamos conseguir ligar-nos pela ferrovia mais rápida do mundo ao resto da Europa e que vamos ter um novo aeroporto espetacular em Lisboa!

Américo Amorim – Olha Trocaste, és um tipo engraçado. Mas eu sinceramente não tenho conhecimentos nem experiência sobre aeroportos. Para mim era forra-los a todos em cortiça e fazer aviões em forma de rolha para ficarem mais aerodinâmicos. Estou fora.

Soares dos Santos – Olha Trocaste...tu ajudaste-me a fazer o homem mais rico de Portugal, e eu gostava de te dar algo em troca. Que tal a OTA e o TGV já em 2020 em troca de privatizares o ministério da Economia e o das Finanças?

Sócrates –Privatizações é comigo. Aliás, comigo e com o José Penedos, que por cada privatização abria uma garrafa de champagne! Mas privatizar ministérios? Mas isso é o que este governo já planeia fazer. É demais mesmo para um filho da puta como eu.

PVD – Olha Trocaste, nunca gostei de ti, por isso estou automaticamente fora. Fuck you!

Miguel Góis – Olha Trocaste, eu já vivi muitos anos, mas nunca vi um primeiro-ministro que fosse tão aldrabão, tão corrupto e tão troca tintas (ao mesmo tempo) como tu! Ainda assim, se me permitires a vida eterna, eu falo com as minhas connects na TVI e na SIC e arranjo-te um programa semanal, para limpares a tua imagem de vez!

Sócrates– Por mim tudo porreiro pá! Temos acordo!

*apertam as mãos*

Belmiro de Azevedo – Não vai resultar, o Sócrates nunca fez nada de jeito na vida

Américo Amorim – Não sejas tão péssimista. De certeza que de cortiça ao menos deve perceber, ele até já teve um ministro que disse que da margem sul para baixo era um deserto. E tinha razão! Realmente só os sobreiros é que conseguem viver naquelas condições.

Soares dos Santos – Cabrões...a quererm-me tirar do topo da lista dos mais ricos! Nem pensar que me roubam mais um negócio!

Américo Amorim – Tu? O homem mais rico? Ah ah! Deixa só o próximo número da revista Forbes sair que já vais ver quem aparece em primeiro!

Apresentadora – E foi o primeiro episódio do Tanque dos Tubarões, mas como diria aqui o Miguel Góis, "parece que o próximo é que vai ser giro"! *falando para si baixinho* Raios quem é que se lembra disto? Estou mesmo a ficar idosa...



FIM

Nota: O meu agradecimento especial ao livro "Os Donos de Portugal" pela ajuda no sentido de conhecer bem esta cambada.

- Copyright © Os Gárgulas - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -