Popular Post

Trump anuncia intenção de bombardear "Os Gárgulas"

By : MR


Nada agradado com o post que publicamos recentemente sobre o seu desconhecimento relativo á existência do PVD e do significado da mesma, Donald Trump insinuou que Os Gárgulas deveriam enfrentar consequências por relatarem esse facto.

Quando questionado sobre o que essas consequências seriam, o candidato Republicano - sim, ele é mesmo o candidato Republicano, por mais inacreditável que isso possa parecer para quem acabar de sair de hibernação - disse "Teremos que ponderar as nossas opções. Mas neste momento diria que a única solução é bombardear esses tais «Gárgulas» ou lá como se chamam".

Quando confrontado com a impraticalidade de bombardear um blog ou os seus bloggers, Trump respondeu dizendo que isso era "mera retórica de Hillary Clinton e os seus apoiantes".

Entretanto a equipa de Trump já anunciou que estas declarações foram mal-interpretadas, que o candidato é um ávido fã do blog e que o bombardeamento em causa seria de visualizações. Algo que irá impôr que o Republicano deixe de passar tanto tempo no Twitter a partilhar citações de Mussolini e outros dos seus ídolos.

Especula-se que o tenham finalmente notificado de quem é o PVD.

Trump não sabe quem é o PVD

By : MR


Numa entrevista recente, o candidato Republicano Donald Trump admitiu não saber quem é o PVD. Após esta admissão por parte de Trump, as redes sociais "explodiram" com críticas ao candidato.

"Como é possível ele não saber quem é o PVD? É das coisas mais importantes que um candidato deve saber. Eu não me incomodei muito quando ele mostrou não ter conhecimento sobre o tríade nuclear, mas isto é demasiado grave", escreveu um angustiado apoiante de Trump no Facebook.

Já Trump respondeu dizendo "Eu não sei quem é o PVD, mas eu garanto que quando chegar à Presidencia eu saberei mais sobre o PVD do que o próprio PVD".

Entretanto, Hillary Clinton respondeu dizendo que isso só seria possível se adquirir conhecimento sobre o PVD fosse tão fácil quanto falir empresas.

Consequências de uma Supertaça: Bíblias, Mudanças de Nome e Tranferências

By : MR



Após a vitória categórica do Sporting sobre o Benfica na Supertaça, Bruno de Carvalho, ainda mais convencido dos poderes milagreiros de Jorge Jesus terá, segundo fontes anónimas, distribuído Bíblias pelo balneário leonino.

Segundo o que apuramos, Jesus não terá gostado, visto que no fim acaba crucificado. O que faz sentido, visto que esse é o ciclo natural dos treinadores do Sporting.

Já Rui Vitória, após a derrota, terá já notificado que daqui para a frente mudará de sobrenome, para evitar que pensem que é de facto um treinador vitorioso.

Segundo apuramos, Luís Filipe Vieira já lhe terá dito para não o fazer, visto que dito sobrenome e a águia homónima, são as únicas "Vitórias" com que o Benfica pode contar esta época.

Especula-se que como plano de emergência, PVD venha a transferir-se para a Luz de modo a fazer um upgrade a Jorge Jesus.

Google compra ToiletMaps

By : MR

A gigante americana Google, que agora pertence á Alphabet, comprou a aplicação ToiletMaps, uma aplicação que AR e uns quantos presidiários desenvolveram.

ToiletMaps, como explicado no post em que visitamos José Sócrates á prisão, indica qual o WC mais próximo e se é ou não gratuito.

Quando questionado sobre a operação, uma fonte na Google explicou.

"Nós ouvimos falar desta app através do vosso blog e achamos 'Hey, porque não? Não pode ser pior do que aquela vez que tentamos imitar o Facebook"

A operação, especula-se, terá custado á Google 2€, visto que JF (sim, o nosso JF) foi a pessoa encarregada de negociar a operação.

A verificar-se, fica por explicar quem é que enganou quem e para quê que os presidiários queriam aquela aplicação.

Para já, a única certeza é de que foi, de facto, um melhor investimento do que o Google +.

Tag : , , ,

PSD, PS e CDS-PP planeiam novas alterações ao processo eleitoral

By : MR


Após a anunciada intenção de forçar os média a apresentar um plano de cobertura das eleições por parte de PSD, PS e CDS-PP, uma fonte anónima veio agora revelar um plano ainda mais ambicioso.

De acordo com esta fonte, o triunvirato mencionado anteriormente quer que cada português apresente os seus planos de voto antes das eleições.

"Até agora, isto era uma selvajaria. Toda a gente votava em quem quisesse com a confidencialidade que quisesse ter. Com este plano, iremos repor alguma da ordem que se tem perdido ao longo dos anos" a fonte revelou. Quando questionado sobre a aplicação que seria dada a essa informação e a que "ordem" se referia, a mesma fonte recusou-se a responder.

Com todos estes planos, resta perguntar onde está a intenção destes partidos de apresentar os seus verdadeiros planos para Portugal.
Tag : , ,

António Costa, o irrevogável socialista

By : MR


Como qualquer showman, António Costa, adapta-se á sua plateia, e foi isso que o líder socialista fez quando em Barcelos diante de uma plateia de portugueses se apercebeu que tinha que voltar a soar um bocado á "alternativa" que tinha prometido antes de se tornar lider do PS.

O incrivel progresso que o país tinha tido aquando do seu evento público de vassalagem aos investidores chineses rapidamente se transformou em retrocesso, num perfeito exemplo de trapézio á la Portas.

A adaptação pode ser um grande trunfo quando se procura entreter um público, mas não o devia ser quando se fala de convicções. Mas num país onde a palavra irrevogável perdeu o seu significado original, isso já é capaz de ser pedir demais.

Se há alguma coisa que se pode reter é que afinal parece que a falta de convicção dos lideres do PS não é defeito, é feitio.

PM Break, ou como parodiámos a política e a série favorita do JF, parte 2

By : PVD
AR: E... parece-me que voltámos.

JF: Já posso falar?

AR: Não vejo porque não, não sentiste a interrupção.

PVD: Deixa-o estar meu filho, conta lá a tua história.

JF: Bem, isto foi aqui à um par de dias...

AR: Isto é um flashback pessoal, transição em nuvem e tudo.

JF: Decidi voltar a casa pelo Natal, visto que não a época natalícia não é a mesma se não tiver o Space_Aye a arguir que a data não interessa, o PVD a apontar-lhe que ele recebe presentes na mesma e os familiares a darem beijinhos a tudo o que se mexe.

MR: E ao que não se mexe, temos de dar um beijinho à garrafa de Coca-Cola lá em casa.

JF: Pois, e não é que eu vou a um café, peço uma bebida...

 Sócrates: Uma bica ou um garoto? Eu gosto mais de garotos.

Space_Aye: Isto de bicas de garotos parecia-me que era mais com a Igreja do que com o senhor ex-Primeiro Ministro, mas pronto.

AR: Este é um momento interessante pois comentários de terceiros tendem a quebrar uma sequência de flashback, mas neste caso o JF estava mesmo a pensar tudo isto.

JF: E não é que ao darem-me o troco, vem uma moeda de dois euros.

Interrompe-se o flashback

PVD: Dois euros JF?! Andaste a atacar o peditório da minha igreja?

JF: Não, eu arranjei emprego em Inglaterra e agora sou pobretanas para lá, mas para cá estou na classe média.

Continua o flashback

JF: E não é que um agente da polícia me vê com a moeda na mão, a chamar-lhe de preciosa, que me prende por furto e me trazem para aqui.

Fim do flashback

AR: Nem mereceu o esforço de colocar o itálicopara uma fala assim curta

Sócrates: Bom, o meu amigo percebe então também a minha situação, também está aqui por um crime que não cometeu.

Space_Aye: (olha para Sócrates de lado) Epá, por isso é que gostamos mais de si do que do Passos Coelho, tem um sentido de humor que é inacreditável.

Sócrates: (encolhendo os ombros) Uma pessoa tem de se manter o ânimo na prisão, quem sabe se repetir vezes que chegue talvez acredite nisso.

PVD: Mas também JF, não se pode culpar muito o sistema jurídico aqui. Eu também te punha na cadeia se te visse com uma moeda de dois euros e me fosses dizer que era tua.

Todos acenam

JF: Pois, não se pode culpar o pessoal.

AR: Diga-se de verdade, que se isto acontecesse na vida real este resultado não me surpreenderia.

Continua na parte 3

PM Break, ou como parodiámos a política e a série favorita do JF, parte 1

By : PVD

Space_Aye levanta-se, abanando a cabeça, sem perceber exactamente onde está ou que horas são. Como todos os dias, tenta ir à casa de banho, mas vê que no seu caminho estão umas barras de ferro.

Space_Aye: Mau! Então mas que vem a ser isto?!

Space_Aye tenta abanar as barras sem sucesso

Space_Aye: Socorro! Ajudem-me!

JF: Epá, faz pouco barulho pá que ainda é cedo.

Space_Aye: JF, estás aqui? Onde é que estamos? O PVD quer voltar a tentar converter-nos?

PVD (da cela do lado esquerdo): Não meu filho, isso era só prá semana que eu estou a descansar depois da época Natalícia, os doces todos lá em casa tem drogas extra para melhor ver o Senhor para o seu aniversário.

MR (da cela do lado direito): Eu desconvido-me a isso, já agora.

Space_Aye: MR, também aqui?! Já não percebo nada do que se passa.

Ouve-se uma voz no lado esquerdo

Sócrates: Bom, se ninguém se opor, acho que posso explicar o que se passou. Estamos todos presos em Évora por causas injustas.

Space_Aye: Sócrates, também está aqui? Mas nós não fizemos já uma série de posts sobre ti recentemente?

Sócrates: Eu admito que os Gárgulas me prestam muita atenção, o que aqui preso sempre me vai consolando, mas também sabem que eu trago sempre o melhor material para a comédia.

Space_Aye: Mas porque é que eu acordei na cadeia e não me lembro porque e como é que cá cheguei? E porque é que estamos todos aqui juntos?

AR: A seginda pergunta é muito fácil - porque se é para fazer uma data de posts em série, o melhor é estarmos cá todos. Além disso, ter um monte de personagens sempre dá vida à narrativa. Quanto à primeira pergunta, o autor provavelmente achava que quebrava muito a acção mostrar o processo legal a ser cumprido, e o facto de acordares assim sem saberes dá um ar de mistério à narrativa.

Space_Aye: Mistério? Mas tu andas a falar de que jovem?

PVD: Deixa-o lá, acho que foi às minhas drogas. Vês o senhor AR?

AR (olhando para o tecto): De certa forma. Isto do meta-conhecimento é estranho.

Sócrates: Bom, eu não estou a perceber nada, mas afinal porque é que vocês estão aqui?

JF: Bem, eu... (é interrompido pelo AR)

AR: Pois, parece-me que para esta já não temos mais tempo hoje. Vemo-nos na parte dois.

Todos excepto AR olham uns para os outros com um ar confuso.


Promessas para 2015

By : JF

Caros Gargulistas, hoje vou revelar a promessa que fiz em 2014, uma mudança que ficara na historia deste blog, ou pelo menos no histórico do meu browser. Eu sei este tópico e muito 2014, mas se procuram um blog actualizado não sei o que estão aqui a fazer.
Eis uma lista de coisas que podem acontecer este ano:

  • Postar no blog, pelo menos uma vez por dia.
  • Perder uns kilos, ou umas libras dependendo da balança que usar.
  • Trabalhar full time nos Gargulas.
  • Armar-me em esteticista e mudar o visual do blog novamente.
  • Dar menos erros ortográficos, se este teclado me deixar.
          Teclado - va fan culo!
  • Escrever posts de jeito e a tempo e horas.
Pronto, chega de suspense... o que eu prometi foi que este seria o ultimo post do blog no qual prometo um monte de coisas que provavelmente nunca cumprirei.

Feliz 2015!


Agua das pedras - A Origem

By : JF
Esta é uma história sobre uma garrafa de água estranha... esquisita, vá,  pois estava metade vazia, ou metade cheia (para os otimistas).
A vida de uma garrafa de água é relativamente parecida com a de um humano. Cresciam a comer sandes de presunto com atum e molho á bolonhesa para ficarem fortes e saudáveis, eventualmente casar-se iam com uma garrafa com uma embalagem oposta e davam luz a garrafões de vinho.
Uva - Eu sou uma uva e acho isto ofensivo!
Miquelina estava apaixonada por  uma garrafa da mesma embalagem, esta confessou o seu amor pelo antigo MSN, logo ainda não deviam existir computadores... contudo isso não era bem visto pelos cidadãos de Garrafopolis.
Certo dia o governador de Garrafopolis ordenou a captura de Miquelina, contudo Pedrana a sua amada interviu e sacrificando-se deu origem à água das pedras, uma água áspera e azeda.
A lenda diz que ainda hoje as garrafas choram, pouco apos saírem do congelador ainda se consegue ver as lagrimas a descerem pela garrafa abaixo.
PVD  - Meu filho, isso é a diferença de temperatura, seu estúpido. 

Os Gárgulas e a Maratona das Aranhas (e a Semi-Maratona das Formigas)

By : AR

Numa manhã aborrecida sem nada para fazer, sem um filme pornográfico que ele quisesse ver, sem uma série de anime que quisesse ver, sem uma banda de metal desconhecida e sem valor para ele ouvir, eis que AR decide sair da sua gruta, digo apartamento, e decide convidar Os Gárgulas a ver a 10ª Maratona Internacional das Aranhas, que AR assume será mais interessante que a Semi-Maratona Internacional das Formigas, que ocorrerá no mesmo dia.

AR: Oi JF, ainda bem que te encontro aqui.Que fazes? Estás à procura de alguma coisa?
JF: Olá. Parecia-me ter visto uma moeda de 2 euros por aqui. -Diz isto com a sarjeta aberta e com luvas.
AR: Ah desiste. Já sabes como os posts gárgulinios são. Não serve de nada seguir a moeda. De qualquer das formas: Ou rapaz da Classe Média, as notas de 20 euros não são melhores?
JF: Bem, suponho que tenhas razão. Suponho que seja a triste verdade. Se bem que... esquece. Que fases aqui?
AR: Bem, queria-te convidar à 10ª Maratona Internacional das Aranhas. Espero que a Sarah Black-Widow ganhe, como ganhou ano passado. Vá, até te pago uma francesinha.
JF: Está bom. -Diz isto enquanto fecha a sarjeta e tira as luvas.

Com isto dito, eis que AR e JF procuram os restantes Gárgulas. E eis que MR e PVD estavam a conversar no Low-Cost.Come dos Aliados:
PVD: Não é que não respeite a tua opinião, meu filho. Eu simplesmente acho que o que tu dizes não tem qualquer lógica, e que, como tal, a tua opinião não tem qualquer valor.
MR: Com todo o devido respeito, simplesmente acho que gastar 5 mil euros num pudim é descabido de qualquer sentido.
PVD: Mas falas como se fosse um pudim qualquer. Simplesmente não é o caso. É o melhor pudim de sempre.
MR: A mim sabe-me a pudim genérico. Daqueles que se compram no Froiz, por exemplo. Sabe bem, mas não vale 5 mil euros.
PVD: Estou incrédulo. Isso é pura blasfémia, meu filho.

Chegando ao Low Cost.Come, AR e JF dirigiam-se à mesa onde o PVD e o MR se reuniam, para os convidar para a maratona. Enquanto isto acontecia, ao fundo estava uma Viúva Negra gigante a comer um Big Mac no McDonalds, a espiar no AR à distancia com binóculos.
Viúva Negra: Mais cedo ou mais tarde, vou-te apanhar. Não me escaparás.

Enquanto isto ocorria:
MR: Não. Recuso-me. Essa oferta é revoltante no mínimo. -Diz isto, fruto da aracnofobia do próprio.
AR: Vá lá. Isso é pura fobia. Um ato discriminatório, inclusive. A aranhas são pessoas, ficas a saber.
PVD: Vá lá MR. Eu sinto que tenho a obrigação de abençoar estas aranhas que tentam integrar-se na sociedade humana. É o melhor a fazer meu filho.
MR: Com tanta coisa absurda dita, eu até escuso de fazer comentários.
AR: Perfeito. Vamos lá. Eu até ofereço uma Coca-Cola. Oh espera, tenho que ir à casa-de-banho.

Depois disto, só faltava buscar o Space-Aye. Num autocarro de dois andares, AR começa a masturbar-se. Enquanto o MR desvia os olhos escandalizado e enquanto o JF olhava para uma estátua de uma moeda de 2 euros com 2 metros de altura, PVD pergunta calma e serenamente:
PVD: Porque é que te masturbas, meu filho?
AR: Peço desculpa. Estava a pensar na Madoka Kaname. Aliás, sempre que vejo Madoka Magica, masturbo-me um bocadinho. As raparigas são uma perdição. E o Kyubey não é mau de todo.
PVD: Contem-te, meu filho. Não é que não perceba o teu desejo pelas raparigas. Mas as pessoas estão a olhar. Mais ainda, tu gostas do Kyubey? Aí não te percebo, meu filho. Mas pronto. Tu gostas do que quiseres.

E a viagem continua, com o MR ainda a processar o facto de que AR admitiu masturbar-se pensando numa personagem de anime que é uma rapariga de 14 anos. Portanto, em vez de apreciar Puella Magi Madoka Magica pelas suas qualidades artísticas e análises filosóficas, pela soundtrack de Yuki Kajiura e escrita de Gen Urobuchi, masturba-se a pensar nas raparigas. Isto até que se lembrou: O AR é o AR!

Mais tarde, os quatro encontram o Space-Aye a sair do bar Piranha, propriedade de um perigoso traficante de detergente da roupa, oriundo do Brasil. Dentro desse bar encontram-se piranhas dançarinas, fora da água, bem como pessoas a snifarem detergente da roupa em pó, bem como pessoas que compram cápsulas de detergente.

AR: Space-Aye, que fazes aqui? Este lugar é perigoso. Não que não gosta de uma cápsula uma vez por outra mas...
Space-Aye: Nem eu sei. Não sei que faço aqui. Não sei porque é que fui colocado aqui. Não sei que utilidade é que isto tem para o post. Aliás, tu devias de saber...
AR: Pouco importa. Vamos lá. Vem connosco. -Interrompendo Space-Aye.
Space-Aye: Tenho alguma escolha?
AR: Não!
Space-Aye: Bem me parecia.

Quando chegaram à maratona, aperceberam-se de que o evento ia ser cancelado, porque as formigas da meia-maratona foram massacradas. Aparentemente houve uma batalha entre os grupos rivais que são as formigas e as aranhas. A policia tinha fechado a rua ao acesso público, e estava a investigar a cena do crime.

AR: Depois disto tudo, não houve evento nenhum. Raios! Vou mas é rever Imouto Paradise.
PVD: E não cheguei a abençoar o evento...
Space-Aye: Calma! Ainda podemos experimentar estes gelados de LSD.
JF: Está bom. Porque não?
PVD: Estes gelados foram abençoados por mim. Desfrutem meus filhos.
MR: Divirtam-se. Não quero nada a haver com isto.

Depois de comerem os gelados de LSD, todos enlouqueceram, excepto MR, que não tinha comido, e AR que pelo contrário fica sóbrio.
MR: À muito tempo que não te via. -Pondo a mão nas costas do AR Sóbrio.
AR Sóbrio: Realmente, muito tempo terá passado. Mas antes de conversarmos, levemos estes loucos para os seus respectivos lares.
MR: É o melhor a fazer.

Enquanto isto ocorria, a Viúva Negra, que é na verdade a senhoria do AR, e o Camarão da Póvoa faziam amor no... Correcção: Fodiam como coelhos ou bonobos, numa cama do Hotel Intercontinental. Cama essa que era nada mais, nada menos que uma francesinha gigante com molho e queijo, com cobertores de queijo. Suavam intensamente, e o suor misturava-se com o molho quente e picante, picante tal como o sexo em si. De qualquer das formas, depois de acabarem:
Camarão da Póvoa: Não te preocupes, minha dama. Tu vais ter a tua vingança no AR. E eu terei a minha vingança nos membros úteis d'Os Gárgulas. Não tara nada, terás o teu banquete.
Viúva-Negra: Anseio por esse momento. -Enquanto beija o Camarão e começam a segunda rodada.

O AR Sóbrio reflecte à janela, consciente de que algo se passava. Sabia que as tensões entre as aranhas e as formigas iam aumentar a nível mundial, e que a coisa não ia ser linda.

To Be Continued...

Os Gárgulas visitam Sócrates

By : MR
 
Imbuídos pelo espirito excecional da época, os Gárgulas decidiram visitar o seu amigo José Sócrates que recentemente se viu detido de forma inesperada.
MR: Então sempre é hoje que vamos visitar o Sócrates?
PVD: Sim, meu filho.
MR: Eu sei que já discutimos isto, mas porquê que estamos a fazer isto?
PVD: Porque somos bons cristãos, meu filho.
Space Aye: Sim, sim, sim. Eu quero é ver como é que aquele tipo se está a sair na prisão. Será que ele já “apanhou o sabonete”?
MR: Sinceramente, Space Aye.
Space Aye: Foste tu que escreveste a piada, não fui eu.
MR: Isso não era para dizer.
PVD: Meus filhos, não devemos falar tais coisas. Eu, o PVD, não aprovo.
AR: Alguém me pode dizer onde é a casa de banho?
MR: Pergunta aí a um guarda.
AR: Pensando bem, esquece. Eu vou usar aquela aplicação que saquei no outro dia.
MR: Provavelmente não é de interesse para ninguém, mas que aplicação seria essa?
AR: ToiletMaps. Ajuda-nos a encontrar a casa de banho mais próxima.
MR: Eu ia perguntar porque é que tens uma aplicação para isso, mas lembrei-me que estava a falar contigo.
AR: Está bem, está bem. Já volto. (AR disse antes de ir á casa de banho)
PVD: Alguém viu o JF?
JF: Estou aqui! (Disse com uma moeda de 2€ na mão)
Space Aye: Agora que ele faz parte da classe média, isto já não faz muito sentido, mas pronto.
Um guarda aproxima-se e abre os portões.
Guarda: Podem entrar.
Os Gárgulas preparam-se para entrar conforme anunciado pelo guarda quando o mesmo os detem (com isto quero dizer para).
Guarda: Onde está o cartão de militante do Partido Socialista?
MR: Não tenho, nem nunca tive tal coisa. (Disse com um certo ultraje)
PVD: O único partido a que pertenço é o partido de Deus. Só voto N’Ele.
Space Aye: Nope, nada.
JF: Dá para descontos nas francesinhas?
Guarda: Não.
JF: Então não tenho.
Guarda: Ainda falta o que está na casa de banho. Ele tem cartão de militante do Partido Socialista?
MR: O AR pode ter muitos defeitos, mas ser militante do PS não é um deles.
Guarda: Então temo que não vos possa deixar entrar.
JF: Vá lá, sr. Guarda, não seja assim. (Disse JF mostrando ao guarda uma moeda de 2€)
MR: Com toda a certeza que isso não irá funcionar.
Space Aye: Ladies and gentleman, isto é a prova irrefutavel da ascensão de JF á classe média.
Paulo Portas: Alguém disse irrefutavel? Porque não dizer irrevogavel? É muito mais flexivel. (Disse após aparecer do nada)
PVD: Também foste preso?
Paulo Portas: Não, não, honoravel PVD. Eu só vim aqui para satisfazer a minha veia sadista e ver como está o nosso amigo, o ex-Primeiro Ministro José Sócrates.
MR: Não sei bem porquê, mas acredito na explicação dele.
Space Aye: Especialmente porque não há submarino que o arraste para o fundo do mar.
Guarda: Espere, vocês disseram que aquele senhor ali é o PVD?
Paulo Portas: É ele mesmo.
Guarda: Nesse caso podem entrar todos. Lamento imenso pelo incomodo. Sabem como é: regulamentos. Assim do nada dizem-nos para deixar entrar todos os socialistas que cá vierem.
E assim, os Gárgulas (- AR) e Paulo Portas entraram na sala de visitas onde os esperava José Sócrates.
José Sócrates: Ah, sejam bem-vindos meus caros. É um prazer recebe-los.
Space Aye cumprimenta José Sócrates com uma expressão que irradiava satisfação, já PVD irradiava compaixão cristã e um decerto bem-intencionado desejo de futuras contribuições para a sua paróquia. JF cumprimentou Sócrates enquanto contemplava a sua moeda de 2€, enquanto que MR redefiniu a expressão aperto de mão ao praticamente partir a mão de José Sócrates. Já Paulo Portas não o cumprimentou nem se fez anunciado, ficando escondido num canto.
MR: Então como é que a prisão o tem tratado?
José Sócrates: Nada bem. Veja lá que só fazem assado quando me vem visitar o Mário Soares! Sinceramente, onde é que já se viu tamanho ultraje?
MR: Folgo em ouvi-lo.
José Sócrates: Sinceramente, MR. Você continua a insistir nessa narrativa de que fui eu que provocou o seu despedimento? Eu esperava mais de si.
PVD: Meu filho, toda a gente sabe que só sabes mentir. Não vale a pena dizeres mais. Niguém acredita numa palavra do que dizes.
José Sócrates: Caro PVD, você deve saber que vale sempre a pena pelo menos tentar. Afinal você passa a vida a tentar converter ateus como o Space Aye ou o MR.
PVD: Se pões as coisas nessa perspetiva, suponho que até tens um ponto.
José Sócrates: Para além de que se começo a dizer a verdade agora, estou tramado. Imagine que me esqueço das mecânicas que mentir e omitir involvem. Isto para não falar da incrivel arte da meia-verdade.
Space Aye: Nunca pensei ouvir este gajo a ser tão honesto.
MR: Nem eu.
Após ter saido da casa de banho, AR entrou na sala de visitas. AR ia cumprimentar Sócrates quando viu uma das suas mais avassaladoras paixões, a cara de Paulo Portas.
AR: Portinhas!!! (Disse, perdendo o pouco juízo que lhe restava)
Paulo Portas: Oh não! Não este tarado!
AR: Volta aqui, Portinhas! Vamos ter um filho juntos! (Disse, agarrando em Paulo Portas)
Paulo Portas: Nem nos seus sonhos. Deixe-me em paz! (Disse, tentando soltar-se de AR)
MR: Porquê que ninguém mencionou que o que ele propôs é absolutamente ridiculo?
JF: Não sei. Isto não era o teu post?
MR: Eu já disse que isso não era para dizer.
Nisto, Paulo Portas solta-se e começa a fugir de AR que o persegue de forma frenética.
José Sócrates: Então, JF? Ouvi dizer que subiu á classe média. Parabéns! Suponho que finalmente tenha as tais desejadas moedas de 2€. Eu quero que saiba que sempre o apoiei neste seu sonho. Folgo muito em saber que finalmente as coisas lhe estão a correr bem.
Space Aye: Não acredites nele JF, ele é o motivo pelo qual tiveste que ir para Inglaterra para chegares á classe média.
JF: O que importa é que eles fazem conversão para Euros, senão aí é que estava fulo.
MR: Eu nunca te disse nada, mas acho que tens uma forma estranha de lidar com o dinheiro.
Space Aye: Não és o único.
MR: Está quase na hora de nos irmos. Antes de irmos embora, tenho algo para si. (Disse, revelando um livro embrulhado que trazia por debaixo da camisola)
José Sócrates: Posso abrir? (Disse, algo entusiasmado)
MR: Claro. Espero que seja do seu agrado.
Nisto José Sócrates abriu o embrulho de modo a descubrir que livro lhe fora oferecido. Ao desfazer o embrulho, Sócrates vê o titulo.
MR: “Fedon” de Platão. Espero que o divirta. (Disse, sorrindo enquanto Sócrates olhava petrefacto para o livro que tinha na mão, que relata o periodo antes da execução de Sócrates, o filosofo)
Space Aye: Não te esqueças de beber a cicuta.
PVD: Meu filho, até uma próxima. Lembra-te: quanto mais doares, mais Deus te ama.
JF acenou, enquanto que de AR e Paulo Portas nem sinal. E assim, os Gárgulas terminaram a sua visita a José Sócrates.

Benfica prepara-se para mais atividade de mercado

By : MR
 
 
Após a confirmação da saída de Enzo Pérez para o Valência por 25 milhões de Euros, e antecedendo-se á possível saída de Nico Gaitán para o Mónaco, o Benfica anunciou a intenção de vender a alma de 11 dos jogadores que constituem o plantel, entre os quais se encontra o anteriormente mencionado Nico Gaitán.
 
Uma fonte anónima dentro do clube disponibilizou-se para explicar os detalhes.
 
"A verdade é que por causa de não nos termos qualificado para a Liga Europa, que era um dos objetivos para esta época, temos que vender jogadores. Mas também é verdade que se vendermos demasiados jogadores ficamos mal no plano desportivo... Pelo que nós decidimo-nos pelo melhor dos dois mundos. Já temos um interessado e tudo."
 
Quando lhe mencionei o quão absurdo o plano era, a fonte ainda relativamente calma disse:
 
"Absurdo ou não, a verdade é que há pessoas interessadas. Se me perguntar a mim, eu acho que o Valência comprar o Enzo Pérez por 25 milhões de Euros é mais absurdo. Especialmente quando podiam comprar o Beñat por 21 milhões de Euros. Ouça, isto tem pernas para andar."
 
Uma pergunta que fiquei por fazer foi que alma restava a jogadores que num dia amam o clube e no dia seguinte o abandonam a meio da época, mas pronto.

 

- Copyright © Os Gárgulas - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -