Avançar para o conteúdo principal

Os Gárgulas visitam Sócrates

 
Imbuídos pelo espirito excecional da época, os Gárgulas decidiram visitar o seu amigo José Sócrates que recentemente se viu detido de forma inesperada.
MR: Então sempre é hoje que vamos visitar o Sócrates?
PVD: Sim, meu filho.
MR: Eu sei que já discutimos isto, mas porquê que estamos a fazer isto?
PVD: Porque somos bons cristãos, meu filho.
Space Aye: Sim, sim, sim. Eu quero é ver como é que aquele tipo se está a sair na prisão. Será que ele já “apanhou o sabonete”?
MR: Sinceramente, Space Aye.
Space Aye: Foste tu que escreveste a piada, não fui eu.
MR: Isso não era para dizer.
PVD: Meus filhos, não devemos falar tais coisas. Eu, o PVD, não aprovo.
AR: Alguém me pode dizer onde é a casa de banho?
MR: Pergunta aí a um guarda.
AR: Pensando bem, esquece. Eu vou usar aquela aplicação que saquei no outro dia.
MR: Provavelmente não é de interesse para ninguém, mas que aplicação seria essa?
AR: ToiletMaps. Ajuda-nos a encontrar a casa de banho mais próxima.
MR: Eu ia perguntar porque é que tens uma aplicação para isso, mas lembrei-me que estava a falar contigo.
AR: Está bem, está bem. Já volto. (AR disse antes de ir á casa de banho)
PVD: Alguém viu o JF?
JF: Estou aqui! (Disse com uma moeda de 2€ na mão)
Space Aye: Agora que ele faz parte da classe média, isto já não faz muito sentido, mas pronto.
Um guarda aproxima-se e abre os portões.
Guarda: Podem entrar.
Os Gárgulas preparam-se para entrar conforme anunciado pelo guarda quando o mesmo os detem (com isto quero dizer para).
Guarda: Onde está o cartão de militante do Partido Socialista?
MR: Não tenho, nem nunca tive tal coisa. (Disse com um certo ultraje)
PVD: O único partido a que pertenço é o partido de Deus. Só voto N’Ele.
Space Aye: Nope, nada.
JF: Dá para descontos nas francesinhas?
Guarda: Não.
JF: Então não tenho.
Guarda: Ainda falta o que está na casa de banho. Ele tem cartão de militante do Partido Socialista?
MR: O AR pode ter muitos defeitos, mas ser militante do PS não é um deles.
Guarda: Então temo que não vos possa deixar entrar.
JF: Vá lá, sr. Guarda, não seja assim. (Disse JF mostrando ao guarda uma moeda de 2€)
MR: Com toda a certeza que isso não irá funcionar.
Space Aye: Ladies and gentleman, isto é a prova irrefutavel da ascensão de JF á classe média.
Paulo Portas: Alguém disse irrefutavel? Porque não dizer irrevogavel? É muito mais flexivel. (Disse após aparecer do nada)
PVD: Também foste preso?
Paulo Portas: Não, não, honoravel PVD. Eu só vim aqui para satisfazer a minha veia sadista e ver como está o nosso amigo, o ex-Primeiro Ministro José Sócrates.
MR: Não sei bem porquê, mas acredito na explicação dele.
Space Aye: Especialmente porque não há submarino que o arraste para o fundo do mar.
Guarda: Espere, vocês disseram que aquele senhor ali é o PVD?
Paulo Portas: É ele mesmo.
Guarda: Nesse caso podem entrar todos. Lamento imenso pelo incomodo. Sabem como é: regulamentos. Assim do nada dizem-nos para deixar entrar todos os socialistas que cá vierem.
E assim, os Gárgulas (- AR) e Paulo Portas entraram na sala de visitas onde os esperava José Sócrates.
José Sócrates: Ah, sejam bem-vindos meus caros. É um prazer recebe-los.
Space Aye cumprimenta José Sócrates com uma expressão que irradiava satisfação, já PVD irradiava compaixão cristã e um decerto bem-intencionado desejo de futuras contribuições para a sua paróquia. JF cumprimentou Sócrates enquanto contemplava a sua moeda de 2€, enquanto que MR redefiniu a expressão aperto de mão ao praticamente partir a mão de José Sócrates. Já Paulo Portas não o cumprimentou nem se fez anunciado, ficando escondido num canto.
MR: Então como é que a prisão o tem tratado?
José Sócrates: Nada bem. Veja lá que só fazem assado quando me vem visitar o Mário Soares! Sinceramente, onde é que já se viu tamanho ultraje?
MR: Folgo em ouvi-lo.
José Sócrates: Sinceramente, MR. Você continua a insistir nessa narrativa de que fui eu que provocou o seu despedimento? Eu esperava mais de si.
PVD: Meu filho, toda a gente sabe que só sabes mentir. Não vale a pena dizeres mais. Niguém acredita numa palavra do que dizes.
José Sócrates: Caro PVD, você deve saber que vale sempre a pena pelo menos tentar. Afinal você passa a vida a tentar converter ateus como o Space Aye ou o MR.
PVD: Se pões as coisas nessa perspetiva, suponho que até tens um ponto.
José Sócrates: Para além de que se começo a dizer a verdade agora, estou tramado. Imagine que me esqueço das mecânicas que mentir e omitir involvem. Isto para não falar da incrivel arte da meia-verdade.
Space Aye: Nunca pensei ouvir este gajo a ser tão honesto.
MR: Nem eu.
Após ter saido da casa de banho, AR entrou na sala de visitas. AR ia cumprimentar Sócrates quando viu uma das suas mais avassaladoras paixões, a cara de Paulo Portas.
AR: Portinhas!!! (Disse, perdendo o pouco juízo que lhe restava)
Paulo Portas: Oh não! Não este tarado!
AR: Volta aqui, Portinhas! Vamos ter um filho juntos! (Disse, agarrando em Paulo Portas)
Paulo Portas: Nem nos seus sonhos. Deixe-me em paz! (Disse, tentando soltar-se de AR)
MR: Porquê que ninguém mencionou que o que ele propôs é absolutamente ridiculo?
JF: Não sei. Isto não era o teu post?
MR: Eu já disse que isso não era para dizer.
Nisto, Paulo Portas solta-se e começa a fugir de AR que o persegue de forma frenética.
José Sócrates: Então, JF? Ouvi dizer que subiu á classe média. Parabéns! Suponho que finalmente tenha as tais desejadas moedas de 2€. Eu quero que saiba que sempre o apoiei neste seu sonho. Folgo muito em saber que finalmente as coisas lhe estão a correr bem.
Space Aye: Não acredites nele JF, ele é o motivo pelo qual tiveste que ir para Inglaterra para chegares á classe média.
JF: O que importa é que eles fazem conversão para Euros, senão aí é que estava fulo.
MR: Eu nunca te disse nada, mas acho que tens uma forma estranha de lidar com o dinheiro.
Space Aye: Não és o único.
MR: Está quase na hora de nos irmos. Antes de irmos embora, tenho algo para si. (Disse, revelando um livro embrulhado que trazia por debaixo da camisola)
José Sócrates: Posso abrir? (Disse, algo entusiasmado)
MR: Claro. Espero que seja do seu agrado.
Nisto José Sócrates abriu o embrulho de modo a descubrir que livro lhe fora oferecido. Ao desfazer o embrulho, Sócrates vê o titulo.
MR: “Fedon” de Platão. Espero que o divirta. (Disse, sorrindo enquanto Sócrates olhava petrefacto para o livro que tinha na mão, que relata o periodo antes da execução de Sócrates, o filosofo)
Space Aye: Não te esqueças de beber a cicuta.
PVD: Meu filho, até uma próxima. Lembra-te: quanto mais doares, mais Deus te ama.
JF acenou, enquanto que de AR e Paulo Portas nem sinal. E assim, os Gárgulas terminaram a sua visita a José Sócrates.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Porque odeio espanhóis

Se eu fosse o PVD, a resposta ao título deste post poderia ser apenas uma frase: "porque sou português".Mas como eu faço posts minimamente decentes (hein, PVD?) vou escrever mais duas ou três. A razão para eu fazer este post (além do facto de este blog já estar a ganhar baratas) prende-se com o facto de eu estar prestes a partir de férias (ou seja, contem com mais baratas pelo menos até pra semana). Férias...para Espanha, obviamente. Porque é para lá que os pobres como eu passam férias fora. No entanto, estou convencido que a viagem vai ser um martírio, uma vez que como vou de autocarro, e a minha chegada está prevista para 13 horas (não às 13h mas depois de 13 horas de viagem!). Por isso decidi levar a biblioteca de Alexandria comigo. Não foi fácil, visto que aquilo estava tudo queimado e debaixo de água, mas lá consegui pegar nuns calhamaços velhos e trazer comigo. Mas apesar de estas 13 horas parecerem muito, não me espanta. Afinal de contas, é provável que o motorista resolva…

Pornografia Portuguesa

Uma das coisas que eu tenho vindo a reparar é na falta de actores portugueses, está bem que não existe talento em Portugal muito menos na área do espectáculo, mas será que não podem aproveitar alguns actores dos caixotes do lixo (morangos com açúcar) Porque já que não existem actores de jeito nem aqueles que já andam a dever anos á cova (Nicolau Breiner). Podiam ser aproveitados os melhorezitos pois chateia imenso ir ao cinema ver um filme português, é que vocês não sabem o que isso é porque são malta fixe que não vai ver esse tipo de filmes.
O que é que vos vêm á cabeça quando pensam em filmes portugueses, é ou não é “pornografia” o que vos vem á cabeça? É não é? Eu sabia! Mas vocês têm razão, quando um filme portugues vai para o cinema pensamos logo é pornografia, mas nunca temos a certeza, por isso vamos ver aos créditos e procuramos pelo nome “Soraia Chaves” pois esse é o nome que nos tira as dúvidas, se ela entra então o filme é mesmo pornográfico.
Então lá vamos nós todos conte…

Como fazer um filho?

Em primeiro lugar, filhos assim como desculpas não se fazem/pedem, evitam-se. Vou ser sincero, comecei a escrever isto só mesmo para dizer o que disse. Se bem que esta questão faz me lembrar os copos do Mc Donald’s.Gargulista - Ter filhos anda te a fazer lembrar os copos do Mc Donald’s? Mas que raio fazes tu no Mc Donalds?Não é nada disso, refiro-me apenas a esta imagem:Já viram se os preservativos viessem com instruções do género? Eu sei que já vêm com instruções, vejam lá se percebam o que estou a tentar dizer.Tire o material para foraSe quiser fazer um filho não use isto.Acho que este tipo de instruções servem para nos chamarem de burros indiretamente. Qual é a vossa opinião a respeito disto? Precisam de instruções ou estão bem sem elas?Para quem quiser ter um filho, acho que não precisam de instruções mas só para o caso.Dê uma semente á sua mulher.Espere 9 meses.Leve-a para um hospital.Já ouvi reclamações, muitos dizem que este método não funciona muito bem, caso não resulte:Envie…