Popular Post

Posted by : AR


Numa manhã aborrecida sem nada para fazer, sem um filme pornográfico que ele quisesse ver, sem uma série de anime que quisesse ver, sem uma banda de metal desconhecida e sem valor para ele ouvir, eis que AR decide sair da sua gruta, digo apartamento, e decide convidar Os Gárgulas a ver a 10ª Maratona Internacional das Aranhas, que AR assume será mais interessante que a Semi-Maratona Internacional das Formigas, que ocorrerá no mesmo dia.

AR: Oi JF, ainda bem que te encontro aqui.Que fazes? Estás à procura de alguma coisa?
JF: Olá. Parecia-me ter visto uma moeda de 2 euros por aqui. -Diz isto com a sarjeta aberta e com luvas.
AR: Ah desiste. Já sabes como os posts gárgulinios são. Não serve de nada seguir a moeda. De qualquer das formas: Ou rapaz da Classe Média, as notas de 20 euros não são melhores?
JF: Bem, suponho que tenhas razão. Suponho que seja a triste verdade. Se bem que... esquece. Que fases aqui?
AR: Bem, queria-te convidar à 10ª Maratona Internacional das Aranhas. Espero que a Sarah Black-Widow ganhe, como ganhou ano passado. Vá, até te pago uma francesinha.
JF: Está bom. -Diz isto enquanto fecha a sarjeta e tira as luvas.

Com isto dito, eis que AR e JF procuram os restantes Gárgulas. E eis que MR e PVD estavam a conversar no Low-Cost.Come dos Aliados:
PVD: Não é que não respeite a tua opinião, meu filho. Eu simplesmente acho que o que tu dizes não tem qualquer lógica, e que, como tal, a tua opinião não tem qualquer valor.
MR: Com todo o devido respeito, simplesmente acho que gastar 5 mil euros num pudim é descabido de qualquer sentido.
PVD: Mas falas como se fosse um pudim qualquer. Simplesmente não é o caso. É o melhor pudim de sempre.
MR: A mim sabe-me a pudim genérico. Daqueles que se compram no Froiz, por exemplo. Sabe bem, mas não vale 5 mil euros.
PVD: Estou incrédulo. Isso é pura blasfémia, meu filho.

Chegando ao Low Cost.Come, AR e JF dirigiam-se à mesa onde o PVD e o MR se reuniam, para os convidar para a maratona. Enquanto isto acontecia, ao fundo estava uma Viúva Negra gigante a comer um Big Mac no McDonalds, a espiar no AR à distancia com binóculos.
Viúva Negra: Mais cedo ou mais tarde, vou-te apanhar. Não me escaparás.

Enquanto isto ocorria:
MR: Não. Recuso-me. Essa oferta é revoltante no mínimo. -Diz isto, fruto da aracnofobia do próprio.
AR: Vá lá. Isso é pura fobia. Um ato discriminatório, inclusive. A aranhas são pessoas, ficas a saber.
PVD: Vá lá MR. Eu sinto que tenho a obrigação de abençoar estas aranhas que tentam integrar-se na sociedade humana. É o melhor a fazer meu filho.
MR: Com tanta coisa absurda dita, eu até escuso de fazer comentários.
AR: Perfeito. Vamos lá. Eu até ofereço uma Coca-Cola. Oh espera, tenho que ir à casa-de-banho.

Depois disto, só faltava buscar o Space-Aye. Num autocarro de dois andares, AR começa a masturbar-se. Enquanto o MR desvia os olhos escandalizado e enquanto o JF olhava para uma estátua de uma moeda de 2 euros com 2 metros de altura, PVD pergunta calma e serenamente:
PVD: Porque é que te masturbas, meu filho?
AR: Peço desculpa. Estava a pensar na Madoka Kaname. Aliás, sempre que vejo Madoka Magica, masturbo-me um bocadinho. As raparigas são uma perdição. E o Kyubey não é mau de todo.
PVD: Contem-te, meu filho. Não é que não perceba o teu desejo pelas raparigas. Mas as pessoas estão a olhar. Mais ainda, tu gostas do Kyubey? Aí não te percebo, meu filho. Mas pronto. Tu gostas do que quiseres.

E a viagem continua, com o MR ainda a processar o facto de que AR admitiu masturbar-se pensando numa personagem de anime que é uma rapariga de 14 anos. Portanto, em vez de apreciar Puella Magi Madoka Magica pelas suas qualidades artísticas e análises filosóficas, pela soundtrack de Yuki Kajiura e escrita de Gen Urobuchi, masturba-se a pensar nas raparigas. Isto até que se lembrou: O AR é o AR!

Mais tarde, os quatro encontram o Space-Aye a sair do bar Piranha, propriedade de um perigoso traficante de detergente da roupa, oriundo do Brasil. Dentro desse bar encontram-se piranhas dançarinas, fora da água, bem como pessoas a snifarem detergente da roupa em pó, bem como pessoas que compram cápsulas de detergente.

AR: Space-Aye, que fazes aqui? Este lugar é perigoso. Não que não gosta de uma cápsula uma vez por outra mas...
Space-Aye: Nem eu sei. Não sei que faço aqui. Não sei porque é que fui colocado aqui. Não sei que utilidade é que isto tem para o post. Aliás, tu devias de saber...
AR: Pouco importa. Vamos lá. Vem connosco. -Interrompendo Space-Aye.
Space-Aye: Tenho alguma escolha?
AR: Não!
Space-Aye: Bem me parecia.

Quando chegaram à maratona, aperceberam-se de que o evento ia ser cancelado, porque as formigas da meia-maratona foram massacradas. Aparentemente houve uma batalha entre os grupos rivais que são as formigas e as aranhas. A policia tinha fechado a rua ao acesso público, e estava a investigar a cena do crime.

AR: Depois disto tudo, não houve evento nenhum. Raios! Vou mas é rever Imouto Paradise.
PVD: E não cheguei a abençoar o evento...
Space-Aye: Calma! Ainda podemos experimentar estes gelados de LSD.
JF: Está bom. Porque não?
PVD: Estes gelados foram abençoados por mim. Desfrutem meus filhos.
MR: Divirtam-se. Não quero nada a haver com isto.

Depois de comerem os gelados de LSD, todos enlouqueceram, excepto MR, que não tinha comido, e AR que pelo contrário fica sóbrio.
MR: À muito tempo que não te via. -Pondo a mão nas costas do AR Sóbrio.
AR Sóbrio: Realmente, muito tempo terá passado. Mas antes de conversarmos, levemos estes loucos para os seus respectivos lares.
MR: É o melhor a fazer.

Enquanto isto ocorria, a Viúva Negra, que é na verdade a senhoria do AR, e o Camarão da Póvoa faziam amor no... Correcção: Fodiam como coelhos ou bonobos, numa cama do Hotel Intercontinental. Cama essa que era nada mais, nada menos que uma francesinha gigante com molho e queijo, com cobertores de queijo. Suavam intensamente, e o suor misturava-se com o molho quente e picante, picante tal como o sexo em si. De qualquer das formas, depois de acabarem:
Camarão da Póvoa: Não te preocupes, minha dama. Tu vais ter a tua vingança no AR. E eu terei a minha vingança nos membros úteis d'Os Gárgulas. Não tara nada, terás o teu banquete.
Viúva-Negra: Anseio por esse momento. -Enquanto beija o Camarão e começam a segunda rodada.

O AR Sóbrio reflecte à janela, consciente de que algo se passava. Sabia que as tensões entre as aranhas e as formigas iam aumentar a nível mundial, e que a coisa não ia ser linda.

To Be Continued...

Leave a Reply

Comentem pá, um bom comentário motiva a malta!

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

- Copyright © Os Gárgulas - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -