Avançar para o conteúdo principal

Os Gárgulas e o Conselho de Estado


 
Um belo dia estava eu a ver as notícias quando ouvi que Cavaco Silva tinha convocado um Conselho de Estado. Nisso não vi surpresa, visto que o homem não faz outra coisa senão convocar Conselhos de Estado. Surpreendente foi quando entrou Jorge Silva Carvalho, aquele do caso das secretas (não, não é casa dos segredos). Aquele caso que envolvia a On-going e tal (se não sabem do que falo deviam de ponderar começar a ler noticias).

Obviamente que fiquei surpreso, não tanto pelo pormenor de que um tipo qualquer tinha entrado pela minha casa a dentro, mas sim porque o fez com os sapatos sujos com algo que calcou na rua.

- Você devia ter cuidado, não acha? – Perguntei com alguma ira.

- Peço imensas desculpas. – Disse-me ele antes de me dar um murro que me pôs KO.

Quando acordei, estava no Palácio de Belém com os meus congéneres gargulinos AR, JF, PVD e Space Aye.

- Bem-vindos. – Disse-nos Cavaco Silva que nós já não víamos desde a Páscoa de á um ano atrás (para contexto verifiquem: http://osgargulas.blogspot.pt/2012/04/pascoa-com-passos-coelho.html).

- Ah, você é… - Comecei eu a dizer enquando olhava fixamente para ele.

- Sim? – Disse Cavaco Silva com alguma expectativa.

- Beppe Grillo? – Eu perguntei.

- Não! Eu não sou o Beppe Grillo, meus filhos, porquê que insistem em comparar-me com aquele palhaço de meia leca? – Cavaco Silva perguntou com uma quantidade considerável de raiva.

- Talvez pelo circo que tem montado nos últimos tempos, de Conselho de Estado em Conselho de Estado. – Disse Space Aye.

- Alguém cale esse insolente, por favor. – Cavaco Silva pediu antes de prosseguir para o que motivou os Gárgulas estarem no Palácio de Belém – PVD, eu preciso do seu conselho.

- Em que te posso ser útil, meu filho? – PVD perguntou a Cavaco Silva com um tom paternal.

- Eu preciso de ajuda. Estes últimos tempos têm sido muito complicados, eu mal consigo sair á rua. Eu tenho que evitar responder a perguntas chatas sobre a política nacional, que aliás, não sei porque me são sempre feitas visto que só sei de bolo-rei. – Cavaco Silva começou a explicar.

- Já sei, quer que o PVD lhe dê uma moeda de 2€! – JF disse interrompendo Cavaco Silva.

- Ah, faz sentido. Suponho que o Cavaco Silva seja como o JF que também nunca viu uma moeda de 2€. Afinal, a pensão dele nem dá para as despesas. – Space Aye afiançou.

- Nada disso! – Cavaco Silva disse enquanto empunhava uma moeda de 2€ cujo brilho enchia a sala em que se encontravam de luz. Era de facto a moeda de 2€ escolhida de entre muitas moedas de 2€, era a “tal”, a moeda cujo brilho poderia inspirar um mundo melhor… ou isso ou era só uma moeda de 2€ muito brilhante… Onde é que eu fui buscar esta ideia estapafúrdia? Claro que tem que ser uma moeda tão brilhante que muda o mundo, nada mais faria sentido, não acham? Seguindo com o tema anterior, Cavaco Silva mostrava esta gloriosa moeda com tamanho orgulho que podíamos facilmente depreender que de facto era a primeira moeda de 2€ que Cavaco Silva, cuja pensão não cobre as suas despesas, tinha visto na sua vida.

- Tão brilhante… - Disse JF encantado com o brilho daquela gloriosa moeda que por si mesma podia mudar o mundo.

- Ah, já sei. Você quer perguntar ao PVD se devia ou não demitir o Governo por achar que o normal funcionamento das Instituições Democráticas está posto em causa e convocar eleições antecipadas! – Disse eu convicto de que esta a resposta certa.

- Errado! – Disse Cavaco Silva para minha surpresa.

- Então o quê? – Perguntei eu estupefacto.

- Eu não convoquei o PVD e os restantes cronistas do melhor blog que eu e a Maria já lemos para fazer uma pergunta tão inútil. Eu convoquei-vos aqui porque quero ouvir a opinião do PVD sobre um assunto de importância muito, mas muito maior. – Disse Cavaco Silva com um tom sério.

- Mas qual é o assunto, meu filho? – PVD perguntou de novo com um tom paternal.

- Qual o cachecol que devo usar hoje? Eu estou indeciso entre este cachecol com listas negras num fundo branco e este cachecol com listas brancas num fundo negro. São tão diferentes mas não consigo decidir. – Cavaco Silva disse com algum desespero.

- Este é o tal assunto importante? – Perguntei eu estupefacto.

- E eu que pensava que isto era Lisboa, não Milão. – Disse o Space Aye igualmente estupefacto.

- De facto parece-me uma escolha difícil, meu filho. – PVD começou a dizer – Eu iria com o cachecol com listas brancas num fundo negro, dá-te um ar mais sóbrio, o que bem precisas porque de sóbrio não se pode dizer que tenhas muito. – PVD concluiu.

- Muito obrigado. Como é que eu pude ter dúvidas sobre isto? Era tão óbvio! – Cavaco Silva disse para si mesmo antes de si virar para o PVD – Muito obrigado, mestre PVD.

- Isso é tecnicamente um pleonasmo. – Eu comecei a dizer – visto que PVD é também um termo para “mestre” em sânscrito reformado.

- Isso existe? – Space Aye perguntou.

- Não. Não é só o Joseph Smith que pode inventar línguas. Eu também tenho esse direito. Egípcio reformado? Give me a break! – Disse eu para Space Aye numa alusão ao charlatão, quero dizer o “profeta”, que começou o Mormonismo.

- Ok, ele está “off topic”. – Disse Space Aye num inglês razoável.

- Não há problema, é para isso que eu estou aqui. – Disse PVD a Cavaco Silva pondo-lhe a mão no ombro. Cavaco Silva fica emocionado e abraça o PVD.

- Ah, perdão. Eu não devia de tê-lo abraçado. Peço-lhe imensas desculpas. – Disse Cavaco Silva que se prostra aos pés de PVD.

- Não te preocupes, meu filho, estás perdoado. – Disse PVD a Cavaco Silva cujos olhos se encheram de lagrimas.

- Na verdade tenho outro assunto que precisava de falar consigo, PVD. – Disse Cavaco Silva já recomposto.

- Sou todo ouvidos, meu filho. – PVD disse enquanto aguardava pelo assunto importantíssimo que Cavaco Silva queria falar com ele.

- Qual me fica melhor, este ou este? – Cavaco Silva perguntou enquanto mostrava dois narizes de palhaço.

- Eu acho que aquele é melhor. Combina melhor com o seu tom de pele. – Disse AR que acabara de sair da casa de banho.

- Isto é mesmo Milão. – Disse Space Aye que nunca esperou dizer isto dentro do Palácio de Belém.

- Você é mesmo um palhaço, sabia? – Disse eu indignado com o facto de que a preocupação principal de Cavaco Silva se centrar em detalhes ridículos como um cachecol e um nariz de palhaço. Estava ali o PVD, o mais sábio de todos (não sei bem porquê, mas que se lixe), e tudo o que ele lhe pergunta é qual o cachecol e nariz de palhaço que deve usar. Eu devo admitir que aquela moeda era altamente. Era de facto uma boa moeda.

- Outro! Isto é inacreditável. Primeiro aquele Miguel Sousa Tavares, agora você. Logo um dos meus cronistas preferidos. Se bem que o meu cronista preferido é o PVD, claro. Eu não sou um palhaço! Eu sou o maior palhaço! – Cavaco Silva disse enquanto andava de um lado para o outro.

- Pode-me mostrar aquela moeda outra vez? – Perguntou JF que queria ver a gloriosa moeda que tem o poder de mudar o mundo.

- Não! E não me interrompam! – Disse Cavaco Silva antes de prosseguir – Por muitos anos sonhei ser um palhaço. De facto, não só um palhaço, mas sim o maior palhaço de Portugal. Eu sempre quis montar o meu próprio circo e tudo. Por tudo isto me tornei Presidente da República. Mas o meu sonho foi destroçado.

- Eu pensava que ele tinha dito que era o maior palhaço. – Disse eu confuso.

- Esquece, nada nisto faz sentido. – Disse Space Aye com toda a razão.

- Destroçado? – Perguntou JF.

- Sim, destroçado. Destroçado por aquele desgraçado do Sócrates. – Disse Cavaco Silva que aperta o punho ao dizer o nome do seu arqui-rival.

- O Sócrates? Mas o Sócrates já nem sequer é primeiro-ministro. – Disse eu perplexo.

- Exacto! E por isso eu fui ultrapassado. Aquele palhaço agora tem um programa de humor na RTP e tudo. Apetece-me estrangula-lo. – Disse Cavaco Silva.

- Só se for humor negro. – Disse Space Aye.

- Do muito dúbio. Daquele que faz do AR o Ricardo Araújo Pereira. – Disse eu.

- Alguém me chamou? – Disse Ricardo Araújo Pereira que aparecera do nada.

- Não, mas o que faz aqui? – Perguntei-lhe.

- Ah, pensava que íamos filmar um anúncio da Meo aqui. Peço desculpa pelo engano. Ah, e sr. Presidente, fica-lhe bem o nariz. – Disse Ricardo Araújo Pereira antes de sair.

- É um bom comediante ele. – Disse Cavaco Silva antes de prosseguir – Bem, isto traz-me ao último tema. Eu quero juntar-me aos Gárgulas.

- O quê? – Perguntou JF.

- Ouviu-me bem, eu quero juntar-me aos Gárgulas. – Disse Cavaco Silva.

- Desculpe, mas não está nos Gárgulas quem quer, está nos Gárgulas quem pode. – Disse o PVD.

- Por isso é que eu tenho uma proposta para vocês. Eu estou disposto a pagar-vos bem por este favor. – Disse Cavaco Silva mostrando a moeda de 2€ capaz de mudar o mundo.

- PVD, não deveríamos reconsiderar? – Perguntou JF.

- Não. A não ser que ele ofereça a moeda á minha paroquia, aí sim. Agora que penso nisso, não. – Disse PVD.

- Muito bem, não me deixam escolha. Vítor trata deles. – Disse Cavaco Silva para Vítor Gaspar que começou a torturar-nos com relatórios financeiros.

- Com que então não me querem ajudar? Então eu vou fazer-vos pagar. – Disse Cavaco Silva prestes a fazer um sorriso maléfico que interrompe quando Vítor Gaspar adormece.

- Porquê? Eu só queria ser reconhecido como o maior palhaço do país, isso e um autógrafo do PVD. – Disse Cavaco Silva desolado.

- Aqui tem. Um autógrafo meu, e em relação á parte do palhaço isso já é uma realidade. Grande parte dos portugueses já pensam isso á algum tempo. – Disse PVD a Cavaco Silva.

Foi aí que nós decidimos abandonar o Conselho de Estado e fomos comer um hambúrguer ao McDonalds como se nada tivesse passado. Afinal, até viajamos á borla.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Porque odeio espanhóis

Se eu fosse o PVD, a resposta ao título deste post poderia ser apenas uma frase: "porque sou português".Mas como eu faço posts minimamente decentes (hein, PVD?) vou escrever mais duas ou três. A razão para eu fazer este post (além do facto de este blog já estar a ganhar baratas) prende-se com o facto de eu estar prestes a partir de férias (ou seja, contem com mais baratas pelo menos até pra semana). Férias...para Espanha, obviamente. Porque é para lá que os pobres como eu passam férias fora. No entanto, estou convencido que a viagem vai ser um martírio, uma vez que como vou de autocarro, e a minha chegada está prevista para 13 horas (não às 13h mas depois de 13 horas de viagem!). Por isso decidi levar a biblioteca de Alexandria comigo. Não foi fácil, visto que aquilo estava tudo queimado e debaixo de água, mas lá consegui pegar nuns calhamaços velhos e trazer comigo. Mas apesar de estas 13 horas parecerem muito, não me espanta. Afinal de contas, é provável que o motorista resolva…

Pornografia Portuguesa

Uma das coisas que eu tenho vindo a reparar é na falta de actores portugueses, está bem que não existe talento em Portugal muito menos na área do espectáculo, mas será que não podem aproveitar alguns actores dos caixotes do lixo (morangos com açúcar) Porque já que não existem actores de jeito nem aqueles que já andam a dever anos á cova (Nicolau Breiner). Podiam ser aproveitados os melhorezitos pois chateia imenso ir ao cinema ver um filme português, é que vocês não sabem o que isso é porque são malta fixe que não vai ver esse tipo de filmes.
O que é que vos vêm á cabeça quando pensam em filmes portugueses, é ou não é “pornografia” o que vos vem á cabeça? É não é? Eu sabia! Mas vocês têm razão, quando um filme portugues vai para o cinema pensamos logo é pornografia, mas nunca temos a certeza, por isso vamos ver aos créditos e procuramos pelo nome “Soraia Chaves” pois esse é o nome que nos tira as dúvidas, se ela entra então o filme é mesmo pornográfico.
Então lá vamos nós todos conte…

Como fazer um filho?

Em primeiro lugar, filhos assim como desculpas não se fazem/pedem, evitam-se. Vou ser sincero, comecei a escrever isto só mesmo para dizer o que disse. Se bem que esta questão faz me lembrar os copos do Mc Donald’s.Gargulista - Ter filhos anda te a fazer lembrar os copos do Mc Donald’s? Mas que raio fazes tu no Mc Donalds?Não é nada disso, refiro-me apenas a esta imagem:Já viram se os preservativos viessem com instruções do género? Eu sei que já vêm com instruções, vejam lá se percebam o que estou a tentar dizer.Tire o material para foraSe quiser fazer um filho não use isto.Acho que este tipo de instruções servem para nos chamarem de burros indiretamente. Qual é a vossa opinião a respeito disto? Precisam de instruções ou estão bem sem elas?Para quem quiser ter um filho, acho que não precisam de instruções mas só para o caso.Dê uma semente á sua mulher.Espere 9 meses.Leve-a para um hospital.Já ouvi reclamações, muitos dizem que este método não funciona muito bem, caso não resulte:Envie…